ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SEGUNDA  27    CAMPO GRANDE 18º

Capital

Para não perder bazar na Capital, teve quem chegou às 4h da madrugada na AACC

Portão foi aberto somente às 8h, com fila enorme na Avenida Ernesto Geisel

Por Ana Oshiro e Cleber Gellio | 19/05/2022 09:17
Fila enorme em frente ao bazer da AACC, na Capital. (Foto: Cleber Gellio)
Fila enorme em frente ao bazer da AACC, na Capital. (Foto: Cleber Gellio)

Com mais de 2 mil pares de sapatos, bolsas e acessórios novos da marca Arezzo, a AACC-MS (Associação dos Amigos das Crianças com Câncer em Mato Grosso do Sul) está realizando um bazar nesta quinta-feira (19) até às 17h, na Avenida Ernesto Geisel, 3475, Bairro Orfeu Baís, em Campo Grande.

Nem o frio, que chegou a 6,1ºC na Capital, com sensação térmica de três graus, espantou a população, e às 4h da madrugada, já tinha gente na fila para garantir lugar e boas compras. A entrada na instituição é organizada de 10 em 10 pessoas, para não causar tumulto.

Para organizar compras, entrada é feita de 10 em 10 pessoas (Foto: Cleber Gellio)
Para organizar compras, entrada é feita de 10 em 10 pessoas (Foto: Cleber Gellio)

"Já participei de outros bazares da AACC e sempre vale. Vim comprar uma bolsa, vale a pena encarar o frio, também quero comprar alguns sapatos pra presentar familiares", disse a vendedora Marilene Santos, de 52 anos, que era a segunda na espera.

Com preços dos sapatos variando de R$ 30 a R$ 70, teve quem encarou a fila mesmo após horas de plantão. "É uma forma da gente se beneficiar e ajudar outras pessoas ao mesmo tempo, né? Saí do serviço às 5h e vim direto pra cá, quero comprar uma bolsa para uma paciente querida e ver se encontro uma bota pra mim", disse Laura Janaína Jesus Leite, de 45 anos, técnica de enfermagem.

Mesmo com o frio, muita gente foi até a AACC e a fila está dobrando a quadra, indo até a Rua General Reveileau, parte de trás da instituição. Uma das últimas na fila, a educadora física Tássia Cruz, de 38 anos, contou ao Campo Grande News que a espera vale a pena. "Já conheço os bazares, nem sempre faz diferença chegar cedo, o que importa é saber procurar mesmo. Vim buscar calçado pro meu marido e pra minha sobrinha", contou.

Tássia chegou às 8h40 e disse que vale a pena encarar fila. (Foto: Cleber Gellio)
Tássia chegou às 8h40 e disse que vale a pena encarar fila. (Foto: Cleber Gellio)

De Dourados, região sul do Estado, Ramão Fernando Rojas Gaúna, de 51 anos, autônomo, aproveitou que está na Capital acompanhando a esposa em tratamento médico e foi conferir o bazar. "Vi ontem no noticiário, como minha esposa tá de repouso na casa dos familiares, vim aqui comprar um presente pra ela e mais umas quatro pessoas. Não sei ainda o que vou comprar, mas vim com R$ 500 pra gastar aqui", explicou.

Apesar da fila grande, a espera é em torno de 20 a 30 minutos. O pagamento pode ser realizado via Pix, dinheiro, cartões de débito e crédito com pagamento a prazo com parcelas de no mínimo R$ 70. Esta é a primeira edição da ação, a maior parte da renda da associação vem de doações e ações de captações de recursos com as feiras e os bazares. No caso do Outlet Solidário, parte da venda será revertida para a instituição. Para mais informações, basta ligar no (67) 3322-8000.

Nos siga no Google Notícias