ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, QUINTA  03    CAMPO GRANDE 23º

Capital

Pastor deve ser afastado da presidência de convenção após tapa no bumbum

Grupo de pastores também vai pedir abertura de processo administrativo para definir eventual penalidade ao pastor

Por Clayton Neves | 22/10/2020 10:15
Imagens mostram o momento em que pastor toca o bumbum da fiel. (Foto: Reprodução)
Imagens mostram o momento em que pastor toca o bumbum da fiel. (Foto: Reprodução)

Episódio do tapa no bumbum continua rendendo desdobramentos na Igreja Assembleia de Deus Missões. Desta vez, pastores que fazem parte da ComadeMS (Convenção das Assembleias de Deus no Estado de Mato Grosso do Sul) decidiram afastar o pastor Antônio Dionizio da presidência da entidade que administra os templos em todo o Estado.

Em documento divulgado na noite de quarta-feira (21), 31 líderes municipais assinam nota de repúdio contra Dionízio, que aparece em vídeo dando tapinhas no bumbum de fiel e ex-funcionária da igreja.

Sede da ADM em Campo Grande, na rua Brilhante (Foto: Paulo Francis)
Sede da ADM em Campo Grande, na rua Brilhante (Foto: Paulo Francis)

“Não compactuamos com tais condutas expostas, sobretudo, porquanto se espera das autoridades eclesiásticas comportamento irrepreensível”, diz o texto.

Ao Campo Grande News, o 3º vice-presidente da Comadems, pastor Rogério Leite, disse que ainda hoje será protocolado afastamento de Antônio Dionízio da presidência da convenção de igrejas. Além disso, grupo de pastores vai pedir abertura de processo administrativo para definir eventual penalidade ao pastor, que pode chegar, inclusive, à expulsão dele do ministério.

“Um líder precisa ter postura irrepreensível para servir de exemplo aos fiéis. Fico indignado com pastores da diretoria que estão sendo coniventes e apoiando um erro que banalizou e está desfazendo a igreja ”, comenta o pastor que também assinou a nota repúdio.

Na manhã de hoje, membros da Comadems vão se reunir com Antônio Dionízio para ouvir o que o pastor tem a dizer sobre o caso.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário