A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

20/11/2013 12:21

Pastores cancelam ação social por causa de cobrança de aluguel de parque

Bruno Chaves e Viviane Oliviera
Pastores reclamam de desorganização e dizem que duas mil pessoas deixaram de ser atendidas por ação social (Foto: Marcos Ermínio)Pastores reclamam de desorganização e dizem que duas mil pessoas deixaram de ser atendidas por ação social (Foto: Marcos Ermínio)

Desorganização da Funesp (Fundação Municipal de Esporte) fez com que uma ação social que reuniria cerca de duas mil pessoas no bairro Vida Nova, em Campo Grande, fosse cancelada. Marcada para ocorrer no dia 14 de novembro, das 9h às 16h, no Parque Tarsila do Amaral, a 7ª Edição da Ação Social e Cidadania de pastores do Ministério Petencostal do Renova ficou só na intenção.

De acordo com o pastor Ivan Gonçalves, 55 anos, o evento ocorre há 10 anos na Capital. Para atender a população e oferecer serviços como corte de cabelos, manicure, pedicure, design de sobrancelha e recreações, entre outros, o projeto sempre conseguiu espaço da prefeitura sem pagar nem R$ 1 pelo local.

A novidade que pegou os líderes religiosos foi a cobrança de R$ 800 pelo aluguel do parque. “Primeiro, o administrador do parque pediu para nós arrumarmos o setor elétrico do local. Depois mudou de ideia e pediu o conserto do portão. Depois, mudou de ideia novamente e pediu três baldes de cloro para limpar a piscina”, conta.

Ivan disse que achou estranhas as solicitações feitas pelo administrador, mas concordou em dar os baldes de cloro em troca do espaço para a realização da ação social. Ele ainda lembrou que em setembro, com 60 dias de antecedência, enviou oficio à Funesp solicitando o espaço.

Até o dia 12 de novembro, estava tudo acertado sobre a realização do evento no Parque Tarsila do Amaral. Entretanto, nesse mesmo dia, o pastor Ivan recebeu ligação de uma funcionaria da fundação dizendo que o contrato de R$ 800 do aluguel do parque estava pronto e que ele teria que ir assinar.

“Questionei e disse que tinha o acordo do cloro com o administrador. Mas a funcionária disse que o acordo era com a Funesp e que o valor era de R$ 800”, diz. Por causa da desorganização, o evento foi cancelado, explica.

Para Ivan, questionamentos como quem ordenou a cobrança, quais são as bases que determinam o valor e quem decide pelo fato ficaram sem respostas. “Em 10 anos de projeto na capital nunca pagamos nada. Prestamos serviços para a comunidade e não ganhamos nada por isso”, lembra.

Já o pastor Joel Camargo, 44, Joel destacou que estava tudo preparado para a ação. “Mas fomos obrigados a desistir. Parece que a Funesp estava colocando empecilho em tudo”, lamentou.

A Ação Social e Cidadania é um projeto da Aliança de Pastores em parceria com o Proesa (Projeto de Evangelização e Ação Social). O evento conta com parceria da Secretaria de Estado de Assistência Social, Escola Viva, Universidade Estácio de Sá, Enersul, Águas Guariroba, empresário e outros.

Funesp – A fundação foi procurada pela reportagem para o esclarecimento de informações sobre o caso. A Funesp informou que o evento estava agendado e a direção, entendendo que o evento era uma ação social, disse que não cobraria o valor estipulado pela Portaria n. 01/FUNESP/MS, de 27 de junho de 2012, (publicado no Diogrande n. 3.552, de 3 de junho de 2012) e, sim que, seria realizado uma permuta com a doação de três baldes de cloro para as piscinas.

Entretanto no dia do evento, que seria o último dia 14 de novembro, os pastores e a equipe do Projeto de Evangelização Social e Assistencial não compareceram no Parque Tarsila do Amaral.

Por este motivo, a fundação afirma que não houve evento e que foi solicitado ao departamento jurídico o cancelamento do contrato.

A assessoria também informou que no dia 14 pela manhã estavam presentes no local as equipes do Projeto Bombeiros do Amanhã, Uniderp, Polícia Militar, PM Ronda e Funsat que participariam da ação social.



Esse pessoal só quer ganhar dinheiro dos fiéis, já não paga impostos e agora nem as taxas públicas quer pagar. Lamentável.
 
Fernando Valença em 20/11/2013 13:50:05
alguém está mentindo, basta saber quem é.
 
marcos macena em 20/11/2013 13:44:33
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions