ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEXTA  24    CAMPO GRANDE 23º

Capital

PF apreendeu mais de 1,6 milhão em notas de real, euros, libras e dólares

Cédulas foram levadas para a sede da PF e a quantia verificada em uma máquina de contar dinheiro

Por Clayton Neves | 08/06/2021 13:48
Policial analisando dinheiro apreendido pela manhã. (Foto: Polícia Federal)
Policial analisando dinheiro apreendido pela manhã. (Foto: Polícia Federal)

Dinheiro de diferentes países foi apreendido pela Polícia Federal durante cumprimento de mandados de busca e apreensão da operação Mineração de Ouro, deflagrada na manhã desta terça-feira em Campo Grande, Sidrolândia e Brasília. Além de pilhas de cédulas de real, os agentes também encontraram dólares, euros e até libras.

No primeiro endereço, que estaria ligado ao conselheiro do TCE/MS (Tribunal de Contas do Estado), Ronaldo Chadid, foram apreendidos  889.660 reais, 7.272 dólares, 200 libras e 4.500 euros. No segundo local, que não teve nome do proprietário divulgado, policiais federais acharam 729.600 reais em espécie. Tudo foi levado para a sede da PF e a quantia exata verificada em uma máquina de contar dinheiro. Somando os valores e convertendo para real, o dinheiro apreendido ultrapassa o montante de R$ 1.684.000.

Em imagens feitas durante a ação dos policiais é possível ver pilha de dinheiro em cima da mesa onde um agente da Polícia Federal confere o material apreendido. O vídeo impressiona pela quantidade de dinheiro.

Operação Mineração de Ouro - As investigações tiveram início a partir de  telefonemas interceptados durante a operação Lama Asfáltica, que foram encaminhados ao STJ (Superior Tribunal de Justiça).

O esquema investigado envolve servidores públicos do Estado e grupo de empresários em fraudes relacionadas a procedimentos licitatórios, obras superfaturadas e desvio dinheiro público.  A operação apurar favorecimento de terceiros por servidores públicos, enriquecimento ilícito, lavagem de dinheiro e contratação de funcionários “fantasmas”.

Ao todo foram emitidos  20 mandados de busca e apreensão em Campo Grande, Sidrolândia e Brasília. Com 102 policiais, a ação é em parceria com a CGU (Controladoria-Geral da União) e  Receita Federal.



Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário