ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, TERÇA  09    CAMPO GRANDE 11º

Capital

Polícia analisa imagens para identificar enfermeiro suspeito de estupro

Além de câmeras de segurança, polícia vai analisar escala de servidores de plantão na data do crime

Por Mirian Machado | 08/02/2021 15:08
Hospital afirmou que não se pronunciará sobre caso (Divulgação)
Hospital afirmou que não se pronunciará sobre caso (Divulgação)

A Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) vai pedir imagens de câmeras de segurança para identificar o suposto enfermeiro acusado de abusar de uma paciente de 36 anos com suspeita de covid-19 internada no Hospital Regional de Campo Grande na última quarta-feira (4).

Conforme a Deam, até o momento ainda estão sendo feitas diligências, além das imagens de câmeras que possam ter flagrado o homem, a polícia ainda vai analisar a escala de servidores de plantão na data do crime, além de realizar oitivas com o corpo de enfermagem  ainda esta semana e com a vítima, assim que a mesma comparecer na delegacia.

Ao Campo Grande News, a mãe da vítima de 56 anos, contou nesta segunda-feira (8) que a filha anda tendo crises de ansiedade a noite e que aguarda mais um exame para então receber alta. “Creio que em casa ela se sentirá mais segura”, afirmou.

"Ele foi um covarde, não tem explicação. Nem animal merece ser igualado a ele. Que Deus enterre a carreira dele”, diz mãe da vítima(Foto: Henrique Kawaminami)
"Ele foi um covarde, não tem explicação. Nem animal merece ser igualado a ele. Que Deus enterre a carreira dele”, diz mãe da vítima(Foto: Henrique Kawaminami)

Caso- A vítima está internada desde o dia 1° de fevereiro. O estupro ocorreu na madrugada de quinta-feira. Depois de ter passado mal durante a noite, tendo vômito e falta de ar, a paciente notou quando o profissional de enfermagem começou ir ao quarto dela, durante a madrugada, e passou a apertá-la e passar a mão em seu corpo. Em determinado momento o suspeito retornou ao leito com “óleo de girassol”, passou no dedos e começou a abusar da vítima.

Mesmo debilitada, a paciente diz ter tentado resistir ao abuso como pôde, pedindo para o homem parar e sair de cima dela, mas ele insistia em passar a mão na virilha da paciente enquanto pedia para ela “abrir as pernas”. O homem repetia que queria masturbar a paciente e que não era para ela resistir, se não poderia "dar problema para ele".

A mãe da vítima está indignada. “Ela me pediu perdão que nunca foi a intenção dela dar tanto trabalho, ainda pediu para Deus ter misericórdia da alma dela. Difícil até achar uma palavra para descrever minha situação. Ele foi um covarde, não tem explicação. Nem animal merece ser igualado a ele. Que Deus enterre a carreira dele”, finalizou.

Ao Campo Grande News, o HRMS disse que não se manifestará a respeito. "Reiteramos que todos os casos de supostas infrações nos diversos campos, administrativo e assistencial, o HRMS pauta-se nos ditames éticos e legais vigentes para tomada de providências", disse em nota.

Já o COREN/MS (Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul ) informou que solicitou acesso aos autos de investigação do caso às autoridades policiais e está trabalhando junto à equipe da unidade de saúde para apurar se o ato de fato foi praticado por profissional de enfermagem, para adoção das medidas cabíveis.

Nos siga no Google Notícias