A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

12/09/2013 13:38

Polícia apura se dono de moto usada em assalto a lotérica sabia do crime

Bruno Chaves e Graziela Rezende
Moto utilizada no assalto foi emprestada por um homem ainda não identificado (Foto: Cleber Gellio)Moto utilizada no assalto foi emprestada por um homem ainda não identificado (Foto: Cleber Gellio)

Após a identificação dos autores do assalto à Agência Lotérica do Conjunto Parati, ocorrido na tarde de ontem (12), na Rua da Divisão, a Polícia Civil de Campo Grande investiga se o dono da moto Honda CG Titan, usada no crime, emprestou o veículo sabendo que ele seria empregado na ação dos bandidos Helton Esquiver da Cunha, 19 anos, e Willian Mercado Nunes, 24 anos.

De acordo com o delegado titular da Derf (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos), Fábio Peró, a moto em que os dois assaltantes estavam é emprestada de um terceiro. “Agora, a nossa intenção é saber se ele emprestou na maldade ou não”, disse o delegado.

Peró contou que, quando a viatura da Polícia Civil retornava à delegacia, um homem parou o carro e se identificou como sendo o primeiro dono da motocicleta. O rapaz contou que vendeu o veículo, mas o atual dono, que emprestou a moto aos bandidos, ainda não transferiu a documentação.

O primeiro dono da moto também contou à polícia que é morador do Jardim Colibri, mesmo bairro onde Willian, apontado pelo delegado como líder do assalto à lotérica, morava.

Ainda de acordo com Peró, o comprador da moto ainda não foi identificado. “Vou analisar a vida pregressa desse homem que emprestou a moto. Ele pode ser responsabilizado pelo crime de roubo qualificado, pelo uso de arma de fogo e concurso de pessoas”, garantiu o delegado.

Assalto – Os dois bandidos chegaram a Lotérica Parati por volta das 15h40 de ontem e anunciaram o assalto. Enquanto um pegava o dinheiro nos caixas, o outro ficou vigiando sete pessoas na fila, entre as quais estava o sargento Evanildo Gomes.

O sargento esperou o momento certo e atirou no primeiro bandido. Em seguida, o outro revidou, mas foi alvejado pelo tiro certeiro do policial.

Passagens pela polícia – Peró ainda contou que William tem diversas passagens pela polícia. Entre elas, estão delitos como roubo, furto, porte e posse ilegal de arma. Só em 2013, o rapaz fugiu do presídio semiaberto, foi recapturado e solto posteriormente.

Já Helton possui passagem pela polícia por porte ilegal de arma.

Assaltantes monitoraram lotérica antes de anunciar crime
Há dois anos com comércio em frente à Agência Lotérica do Conjunto Parati, na Rua da Divisão, Pedro Gayaso, 40 anos, contou ao Campo Grande News que ...
Terminal rodoviário de Campo Grande oferece cartões de Natal gratuitos
A rodoviária de Campo Grande, mais um ano, oferece gratuitamente cartões de Natal gratuitamente para os passageiros que passarem pelo local até o pró...


É só pra lembrar aos "jornalistas" e aos "direitos humanos" dos bandidos, que esses assaltantes já fizeram outros delitos dessa natureza(violentos); portanto, colheram o que semearam. Não que nós enquanto sociedade desejamos a morte para eles, não se trata disso. A questão é: Porque eles não querem trabalhar? Porque eles não se entregam mais à Polícia, sempre reagindo? Porque não temem a justiça? Todas essas respostas são muito profundas e envolveria muitas mudanças nas leis do país.
 
Joice Caroline Neves em 13/09/2013 23:04:59
Ambos os fascínoras tinham várias passagens, mas estavam nas ruas, esperar o quê deles?
 
Antônio Salmão em 12/09/2013 16:49:46
Quanta coincidência esse antigo proprietário estar passando por ali bem no momento da cena! Ainda reconhecer a moro e correr para se justificar!!! Coisa de doido!!! E vendeu para outro que nem sabe o nome!!! ah táh....
 
Klebber Silva em 12/09/2013 14:16:06
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions