A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

27/01/2014 13:16

Polícia deflagra operação 'Tolerância Zero' contra flanelinhas e pichadores

Graziela Rezende
Flanelinha é alvo de operação após reclamação de comerciantes (Foto: Marcos Ermínio)Flanelinha é alvo de operação após reclamação de comerciantes (Foto: Marcos Ermínio)

A Polícia Civil deflagrou na manhã desta segunda-feira (27) a operação “Tolerância Zero”, para coibir a ação de “flanelinhas” e pichadores na região central de Campo Grande. Segundo o delegado Fernando Nogueira, titular das delegacias 24h, o planejamento ocorreu na quinta-feira, após a Polícia receber inúmeras ligações de comerciantes e pessoas que estacionam com frequência o veículo nas ruas centrais.

“Fizemos uma programação dos locais, juntamente com o presidente da Associação dos Lojistas. Houve inclusive a informação de pessoas que estavam fechando as portas por conta de flanelinhas, que ameaçavam e danificavam os carros caso não fossem pagos”, afirma o delegado.

Na manhã de hoje, ao menos 20 pessoas já foram levadas para a delegacia. “Vamos realizar a ação hoje o dia todo e nesta semana a ação está prevista por mais dois dias. Estamos dando uma resposta para a sociedade, mas a prefeitura precisa também regulamentar essa situação para o problema não persistir”, avalia o delegado.

Delegado Fernando explica que o objetivo da operação também é prender os pichadores (Foto: Marcos Ermínio)Delegado Fernando explica que o objetivo da operação também é prender os pichadores (Foto: Marcos Ermínio)

Pontos estratégicos - Com o apoio da Deops (Delegacia Especializada de Ordem Política e Social), 19 policiais participam da ação, no cruzamento das ruas Dom Aquino com a 13 de maio, 14 de julho e Calógeras, além dos mesmos cruzamentos uma rua acima, na Barão do Rio Branco e com a Cândido Mariano.

“Eles vão responder pela contravenção penal do exercício ilegal da profissão. Ainda vamos levantar a ficha dos presos e verificar quem tem passagem pela Polícia e o porque deles estarem coagindo as pessoas com ameaças. Estamos coibindo os pequenos crimes para também evitar os grandes”, finaliza o delegado.

Dos 22 flanelinhas presos, 13 tinham antecedentes criminais na Capital
A Operação Flanelinha, realizada ontem (4) por três delegacias da Capital, deteve 22 pessoas na região central da cidade. De acordo com o delegado Ma...
Cinco são detidos em operação contra flanelinhas no centro da Capital
Pelo menos cinco homens foram autuados ontem (4) à tarde por policiais da Deops (Delegacia Especializada de Ordem Política e Social) que deflagraram ...
Vítima de agressão em frente a boate é flanelinha e queria ser o "dono do ponto"
Assim que repassado o caso para a Polícia Civil, sobre um jovem de 29 anos que teria sido gravemente ferido por um cuidador de carros na madrugada de...


Estou revoltada com o acontecido de ontem no centro da cidade, trabalhadores de anos que estão ali para garantir o sustendo de suas familias sendo levados como criminosos pela policia... Por favor minha gente vamos acordar para a realidade, os verdadeiros criminosos estão no poder rindo da cara da sociedade! "Concordo que existem casos e casos, porem só acho que essa operação foi realizada no lugar errado... os verdadeiros aproveitadores estão nos altos da Afonso Pena atormentando e oferecendo riscos para a sociedade... estes sim cobram por cuidar dos carros e motos obrigando as pessoas a pagarem, porem os "flanelinas'' do centro da cidade não cobram nada por cuidar das motos e veiculos, paga quem quiser o valor que quiser.
 
Leticia Queiros em 28/01/2014 10:55:53
Isso é que nem prender os viciados do crack, não vão parar porque foram presos por um ou dois dias, logo vão retornar, tinha que acabar é com a flexpark, que é um serviço de flanelinha regularizado que não serve para nada, só fazem cobrar taxas, mas não dão retorno nenhum a sociedade. E no centro eu nem vou mesmo, com a nova lei da publicidade o centro de Campo Grande mostrou sua verdadeira face, velho e abandonado. o Centro novo mudou para acima da Rui Barbosa.
 
Antonio Carlos em 28/01/2014 08:39:26
Já estava na hora...chega disso, vc sai e ainda é coagido por um flanelinha, e que regulamentar nada, lei é lei, não pode não pode, ou vão pedir pra prefeitura regulamentar a situação do traficantes, "vamos prender eles, mais a prefeitura tem que regulamentar", vamos pará de lorota e vamos trabalhar...
 
Tony Ferraz em 28/01/2014 07:53:20
Me desculpe sr. Luiz Carlos, mas a pessoa ser praticamente obrigada a pagar "taxas" a esses "profissionais" com a ameaça deles danificar os nossos bens é considerado crime também, além do mais, esses jovens precisam é arrumar TRABALHO e nao ficar extorquindo, ameaçando pessoas de bem. Sou totalmente a favor da ação dos policiais.
Parabéns pela iniciativa delegado.
 
Grazi Lima em 28/01/2014 07:45:07
Saindo a noite é ainda pior, nos bares eles já exigem um valor e exigem ainda no inicio da noite. Tem lugar que os cuidadores até maquina de cartão possuem (barbaqua)!! Está realmente necessitando uma medida o quanto antes!
 
Mari Caremeto em 28/01/2014 07:42:26
Falando em pichadores, gostaria de chamar a atenção dos senhores leitores para um detalhe. Os srs recordam como surgiram as primeiras pichações (em massa) em nossa Capital? Sem dúvida, surgiram a uns quatro anos atrás quando alguém resolveu denunciar um fato usando a seguinte frase: "Tatiane recebe U$ do Uemura". Depois: "Bernal Agiota". Não precisa ser perito para entender que as características das letras em ambas as frases se assemelham. Não estou afirmando que antes não havia pichações em Campo Grande, mas que aquelas (que refiro) serviram de estimulo aos delituosos, isso não há duvida. A segunda pergunta que faço é a seguinte: Será que os interessados em fazer aquelas denuncias através de pichações foram identificados?
 
Lenirdo Pedroso de Almeida em 27/01/2014 23:35:40
E a "flanelona" que é a Flex-Park, quando vão acabar com ela?
 
hugo alves em 27/01/2014 21:45:05
Quero saber se a policia vai nos altos da Afonso Pena, em frentre a Woods, os flanelinhas estão cobrando de 10 a 20 reais, depende da cara do cliente
 
Renato Santolaia em 27/01/2014 18:12:43
Aleluia!
 
Carlos Magno em 27/01/2014 18:07:09
E os bicheiros e suas barraquinhas?
Sem tolerância?
Because?????
 
Ricardo Piazza em 27/01/2014 17:56:33
Por incrível que pareça, eu tenho moto, e sempre estaciono no centro, e NUNCA dei dinheiro a esses indivíduos, nunca ARRANHARAM minha moto, nunca fizeram nada, ja aconteceu isso com alguém aqui, pessoal isso é só um fato, não to dizendo que ele fazem ou não alguma coisa, é só por curiosidade mesmo.
 
Jhonie Dias em 27/01/2014 17:26:16
Campo Grande já tem pouco lugar para deixar a moto no centro, os lugar que tem os flanelinha toma conta como se fosse deles!
 
gilberto silva em 27/01/2014 16:43:33
E na FEIRONA Sr, Delegado , quando vai fazer este serviço por lá ???? Estes individuos estão em muitos lugares , nao só no centro.
 
SORAIA AMADO em 27/01/2014 16:23:43
Pichadores: Liberdade ou libertinagem:
Pichação é que veem ocorrendo nos últimos anos em Campo Grande, ou seja o numero crescente de pichadores vem crescendo, emporcalhando e sujando o visual da cidade. O que está faltando? A lei existe, no entanto a sua aplicabilidade é que deixa a desejar. Coibir este ato de quem é a competência? é da prefeitura por meio de guardas municipais? E do estado por meio da policia militar? Nesses casos são totalmente inoperantes, é ficamos nos assistir estas barbárie sem no entanto poder fazer nada. Se as autoridades não chamarem para si as responsabilidades e não tomar a dianteira e resolver o problema enquanto é tempo, a nossa cidade chamada morena (capital do ipês), vai ser semelhante ou igual ao Rio de Janeiro (chamada cidade maravilhosa). Este portal de noticias tem chamado atenção para o problema, do qual apoiamos integralmente e que se tome as medidas na forma da lei.
 
adailton alves de almeida em 27/01/2014 16:12:17
Até que em fim! A maioria desses flanelinhas são perigosos!
 
Johnny Chan em 27/01/2014 15:42:36
O Governo não deu um jeito de adquirir o prédio do shoping 26 de agosto?para abrigar um tribunal?porque a area estava considerada improdutiva? então porque o estado e a prefeitura não adquiren terrenos ou prédios improdutivos na area central e faz deles estacionamentos municipais,ou parceria com empresários que queiram investir por um preço justo aos motoristas,assim se livraria em grande parte dos abusos dos flanelas.Mas pra que vão fazer isto afinal,já que as repartições púlblica geralmente possuem um estacionamento particular,não é mesmo?
 
Antonio Costa em 27/01/2014 15:35:13
EU DUVIDO QUE DE EM ALGUMA COISA, NO MAXIMO SOMEM POR UMA SEMANA E DEPOIS REAPARECEM, A PREFEITURA TEM QUE DECIDIR, OU TEM ZONA AZUL (FLEX PARK) OU TEM FLANELINHA, PAGAR OS DOIS NÃO DÁ.
 
MAXIMILIANO NAHAS em 27/01/2014 15:35:05
Demorô, pois a maioria desses "profissionais" não passam de malandros acharcadores, quem não paga tem o carro ou moto danificada, estão poor todos os cantos até em estacionamentos de supermercado e bancos.
 
regina caseiro em 27/01/2014 15:20:46
Sr Luiz Carlos, o senhor deve viver num mundo perfeito, ou não tem carro. tudo para vocês é discriminação social, os seus "vigias" ja arranharam muito meu carro quebraram espelho da minha moto e sabe porque? eu nao tinha dinheiro para o valor que eles cobraram. o senhor sabia que muitos destes seus vigias usam esse "trabalho" para compra de droga? sabia disso?

 
marcel dos santos nobre em 27/01/2014 15:13:38
Até que enfim, uma decisão sábia ! É preciso banir das ruas esses pichadores que emporcalham a cidade. Não bastasse uma administração desastrosa, onde o mato toma conta das calçadas e ruas, sem falar na sujeira; temos de tolerar esses porcos arruaceiros. Flanelinhas, são contraventores. Coagem o cidadão, sob pena de ter seu automóvel arranhado, riscado. Parabéns as autoridades! Tolerância Zero!
 
arnobio luiz em 27/01/2014 15:10:34
Parabéns delegado! Penso q já pago caro meus atributos e ainda tenho q pagar aos flanelas, muito injusto e muitos ainda ameaçam danificar nosso patrimonio. tem cada brutamonte aí fazendo esse "srviço". Portanto vão fazer outra coisa! tem q bater firme nesse povo, vamos moralizar nossa cidade!
 
ricardo jeferson em 27/01/2014 15:09:37
Quero ver se os flanelinhas chiques, mais conhecidos como valets, serão alvo da mesma fiscalização. Afinal eles também cobram para estacionar o carro na rua ou em calçadas além de colocar a barraquinha deles e cones impedindo o estacionamento dos veículos em frente ao comércio que está oferecendo este "serviço".

PS.: Duvido!
 
Francisco Neto em 27/01/2014 14:32:18
Por que o sistema prisional é falho, lotado? Por que o PCC (cujos líderes estão encarcerados) consegue cada vez mais adeptos ao crime? Culpa de atitude como essa, de tirar pessoas das ruas para assim marginaliza-las de vez e leva-las ao crime (pois a cadeia nada mais é que escola). Parabéns delegado, por culpa sua (não somente,claro) o crime se alastra. Bando de "burro", com diploma.
 
Emerson Torres em 27/01/2014 14:16:44
O número de pessoas que ficam nas ruas do centro intimidando quem passa ou estaciona esta crescendo. Além da reportagem é importante pensar no fluxo de veículos da cidades, onde pessoas ficam nos cruzamentos atrapalhando o transito e causando insegurança de quem se desloca de carro. Aliado a isso a onda vermelha que continua na cidade ainda precisa ser resolvida. Podemos citar também pontos de estrangulamento como por exemplo na avenida Duque de Caxias em frente a avenida Ludio Coelho que alguns fazem a saída à esquerda no sentido cidade atrapalhando o transito bem na esquina dos quarteis. Outra, na cabeça de boi, possui uma saída de veículos para a avenida bem no sinal onde as pessoas sempre querem cruzar na frente dos carros que estão parados na avenida esperando o sinal abrir.
 
Renato Andreotti em 27/01/2014 14:14:22
PARABÉNS!
Sugestão para tolerância zero: eventos e shows em locais públicos.
 
Fabiano Andrade em 27/01/2014 14:09:19
Demorou....!!!!
 
Odracir Siarom em 27/01/2014 13:51:32
NÃO A ESSE TIPO DE TRABALHO NAS RUAS... JÁ TEMOS O PAGAMENTO DE ESTACIONAMENTO, ESSAS PESSOAS TEM É QUE TRABALHAR, CUIDAR CARROS NA RUA É MENTIRA, NADA PODEM FAZER PELOS NOSSOS CARROS, LOGO, PAGAR A ELES PARA TAL É JOGAR DINHEIRO FORA E FINANCIAR A PERMANÊNCIA DELES NA RUA. TRABALHO SOCIAL AOS QUE NÃO TEM EMPREGO E CADEIA AOS VÂNDALOS.
 
Rose Pereira em 27/01/2014 13:33:59
Os tais flanelinhas tem que ser enquadrados por extorsão mediante ameaça, que é o que eles na verdade fazem: experimente não dar dinheiro para eles e o seu carro será inevitavelmente riscado. Isso eles deixam claro e não hesitam em cumprir a ameaça.
 
Adriano Roberto dos Santos em 27/01/2014 13:31:50
Agora sim....gostei
 
elio santos em 27/01/2014 13:21:37
Tem que se ter o cuidado para essa operação da Polícia Civil não cair no mesmo "pecado" da que a PM fez ontem contra o "rolezinho": a discriminação social!!! Sou muito mais ver um jovem vigiando carros na rua, do que vê-lo cometendo furtos e outros crimes!!
 
LUIZ CARLOS em 27/01/2014 13:20:53
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions