A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 10 de Dezembro de 2017

23/04/2015 16:41

Polícia indicia ex-deputado católico e vereador evangélico por exploração

Edivaldo Bitencourt e Lidiane Kober
Paulo Sérgio Lauretto conclui inquérito até amanhã (Foto: Alcides Neto)Paulo Sérgio Lauretto conclui inquérito até amanhã (Foto: Alcides Neto)

A Polícia Civil indiciou o ex-deputado estadual Sérgio Assis (PSB), que é católico e atuante nos movimentos sociais da igreja, e o vereador Alceu Bueno (PSL), pastor evangélico, pelos crimes de exploração sexual de adolescentes. Eles podem ser condenados a pena de até 10 anos de reclusão.

Em entrevista coletiva na tarde de hoje (23), o delegado Paulo Sérgio Lauretto, titular da DEPCA (Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente), descartou o envolvimento de mais políticos. Ele também vai indiciar os três homens com a prisão preventiva decretada: o empresário Luciano Roberto Pageu, 40 anos, o ex-vereador Robson Martins e Fabiano Vianna Otero. Eles também vão responder pelos crimes de indução de menor ao crime e extorsão.

Conforme Lauretto, há vídeos em que os dois políticos aparecem mantendo relações sexuais com duas adolescentes. Para complicar a situação de ambos, em uma das gravações, a menina confessa que tem apenas 15 anos de idade.

Assis e Bueno caíram no esquema montado por Otero. Ele é acusado de agenciar as meninas e organizar a gravação dos encontros com a utilização de câmeras ocultas. O objetivo era gravar os encontros e obter dinheiro por meio de extorsão.

Bueno, que corre o risco de ter o mandato cassado pela Câmara Municipal, chegou a pagar R$ 100 mil para o grupo criminoso. Ao ser pressionado para pagar mais R$ 50 mil, como estava sem dinheiro, o parlamentar decidiu denunciar o caso à polícia e participou da armação do flagrante. Robson e Luciano foram presos ao receber R$ 15 mil durante a extorsão.

Em depoimento à polícia, segundo o delegado, Sérgio Assis preferiu ficar em silêncio e não negou o crime. Já Bueno alegou problemas de saúde e não compareceu à oitiva marcada para hoje de manhã.

Assis e Bueno vão ser indiciados pelo crime de conjunção carnal na forma de exploração sexual com adolescente e podem ser condenados, caso a Justiça os considere culpados, a penas de 4 a 10 anos de reclusão.

Martins e Pageu, que estão presos, e Otero, que está foragido, também serão condenados pelo mesmo crime e os agravantes de extorsão e indução das duas meninas ao crime.

Lauretto acredita que Assis não chegou a ser extorquido porque o último encontro de políticos com as meninas ocorreu no dia 22 de março e o esquema foi descoberto no dia seguinte. Todos os vídeos do ex-deputado e do vereador mantendo relações com as meninas foram apreendidos.

Ontem, após deixar a delegacia, Sérgio Assis afirmou que tudo não passa de armação. No entanto, ao delegado, ele disse que vai se manifestar após a perícia analisar os vídeos.

Bueno também negou participação no crime e alegou ser “um homem de bem” vítima de extorsão.

Bueno negou participação no crime e alegou ser um homem de bem” (Foto: Divulgação)Bueno negou participação no crime e alegou ser um "homem de bem” (Foto: Divulgação)
Na delegacia, Assis cogitou armação para prejudicá-lo (Foto: Fernando Antunes)Na delegacia, Assis cogitou "armação" para prejudicá-lo (Foto: Fernando Antunes)


A classe politica já esta sem credibilidade nenhuma junto ao povo, e agora para a completar, esses dois senhores são envolvidos neste escândalo, dois indivíduos que pregavam a ética e a moral como elementos essenciais na suas condutas, e agora como fica, vão alegar o que, que foram envolvidos, ou que foram forçados a praticarem esses crimes, é logico que ainda não se pode julga-los culpados, pois isso ainda depende de julgamento, mais pelo jeito a vaca foi pro brejo, parece que as provas são irrefutáveis, pois caso contrario o delegado não os indiciaria sem uma investigação mais profunda.
 
juvenul em 23/04/2015 18:31:14
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions