ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, QUINTA  21    CAMPO GRANDE 22º

Capital

Polícia investiga participação de filhos de mulher que esquartejou chargista

Policiais da Delegacia de Homicídio fizeram buscas nas casas dos dois filhos da mulher, no Coophavila II

Por Viviane Oliveira, Anahi Zurutuza e Bruna Marques | 25/11/2020 08:36
Clarice chegando na Delegacia de Homicídio, ontem à noite (Foto: Paulo Francis) 
Clarice chegando na Delegacia de Homicídio, ontem à noite (Foto: Paulo Francis)

A DEH (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Homicídio) investiga se os filhos da massagista Clarice Silvestre de Azevedo, 44 anos, têm participação no assassinato do chargista Marco Antônio Rosa Borges, 54 anos.

Na manhã desta quarta-feira (25), os policiais fizeram buscas nas casas dos dois filhos da mulher, no Bairro Coophavila II, em Campo Grande. A polícia quer esclarecer a dinâmica do crime e a participação de outras pessoas. Os dois foram levados para prestar esclarecimento na delegacia.

Um deles, morador da Rua Beira Mar, tem 25 anos. A mulher dele disse à reportagem que a polícia não encontrou nada na casa. Ela disse ainda que só conhecia o chargista por foto e por ouvir a sogra a falar dele. "Ela falava que estava namorando há 5 meses e que Marco era gente boa", disse a jovem de 18 anos.

Clarice foi presa ontem (24) e será ouvida pelo delegado Carlos Delano, responsável pela investigação, depois de passar por audiência de custódia no Fórum.

Terreno onde restos mortais do chargista foi localizado pela polícia (Foto: Kisie Aionã) 
Terreno onde restos mortais do chargista foi localizado pela polícia (Foto: Kisie Aionã)

Matou e esquartejou - O chargista estava  desaparecido desde a manhã de sábado (21) quando saiu para ir à casa de Clarice. Ontem, a assassina confessa se apresentou à polícia em São Gabriel do Oeste, a 140 quilômetros da Capital. Ela foi trazida por policiais civis para a DEH.

Ao confessar o crime, Clarice alegou ter levado dois tapas no rosto durante discussão com a vítima. Em seguida, ela afirmou ter o empurrado de escada, vindo Marco Antônio a bater com a cabeça. Teria sido nesse momento que o chargista foi esfaqueado e, em seguida, esquartejado. O corpo dele foi colocado dentro de sacos de lixo e, em três malas, que foram jogadas e incendiadas em terreno baldio na região do Jardim Corcovado.

O delegado Carlos Delano afirmou que a prisão temporária de Clarice já havia sido solicitada, na noite de segunda-feira (23). O fato da massagista ter sido convocada para depoimento, na segunda-feira (24), e desaparecido, inclusive estando com o celular desligado duas horas e meia antes do horário marcado para comparecer à delegacia, levantou suspeita da polícia.

Casa, na Rua Beira Mar, onde as buscas foram feitas na manhã desta quarta-feira (Foto: Marcos Maluf)
Casa, na Rua Beira Mar, onde as buscas foram feitas na manhã desta quarta-feira (Foto: Marcos Maluf)


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário