A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

03/10/2012 17:55

Polícia suspeita de segundo envolvido em morte de deficiente físico

Nícholas Vasconcelos e Helton Verão
Travesti acompanhou reconstituição de morte de deficiente físico na Vila Progresso. (Foto: Rodrigo Pazinato)Travesti acompanhou reconstituição de morte de deficiente físico na Vila Progresso. (Foto: Rodrigo Pazinato)

Uma segunda pessoa pode ter envolvimento na morte de Arsênio Francisco Chaves Vargas, 39 anos, morto no dia 25 de agosto na Vila Progresso, em Campo Grande. Durante a reconstituição feita na tarde hoje, o travesti Jeferson da Silva, 18 anos, conhecido como Darlene Beatriz acompanhou a Polícia Civil e reafirmou a versão de que teria se defendido de um ataque de Arsênio.

A reconstituição durou 1h30 e o delegado da 4ª DP (Delegacia de Polícia), Devair Aparecido Francisco, afirma que ela não foi conclusiva já que não outra testemunha além de Darlene. “Apesar de parecer que o autor está colaborando nas investigações, tudo ainda é muito incerto porque ele muda de versão várias vezes e as informações estão se conflitando”, afirmou.

Na versão de Darlene, a vítima a chamou para um programa na rua Carlinda Tognini, mas que depois do sexo não tinha dinheiro para fazer o pagamento. Ela disse ainda que Arsênio tentou agarrá-la e que por isso ela usou a faca que carrega na bolsa para acertar o deficiente físico.

O irmão da vítima, o auxiliar administrativo Júlio Alves, 33 anos, acompanhou o trabalho da Polícia e disse que tem certeza que foi Darlene que foi atrás de seu irmão. Ele disse que Arsênio não tinha condições físicas para dar abrir o zíper da calça, muito menos para atacar a travesti. A mãe e a esposa de Arsênio permaneceram dentro de um carro durante toda reconstituição.

Jeferson da Silva, Alves, 18 anos, travesti conhecido como Darlene Beatriz, confessou ter matado com uma facada o deficiente físico, Arsênio Francisco Chaves Vargas, de 39 anos, no dia 25 de agosto, na rua Carlinda Tognini, na Vila Progresso, em Campo Grande.

A travesti foi detida ontem no bairro Guanandi, mas foi liberada depois da reconstituição já que não foi presa em flagrante e por conta do período eleitoral.

Homem é ferido a tiro em saída de pagode no Bairro Taquarussu
Giovani Rodrigues Barbosa, 22 anos, foi baleado no tórax na saída de um pagode, na madrugada deste domingo (18), na Avenida Presidente Ernesto Geisel...
Abstenção em concurso da Câmara Municipal da Capital passa dos 30%
O domingo (17) foi de provas para milhares de campo-grandenses, tanto na manhã como no período da tarde, no concurso da Câmara Municipal, que segundo...
Com forte dores, mulher reclama de falta de atendimento em UPA
Mesmo apresentando fortes dores e inchaço na região do estômago, sem conseguir comer a três dias, uma mulher que procurou atendimento na UPA (Unidade...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions