ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SÁBADO  08    CAMPO GRANDE 21º

Capital

Policial aposentado diz que não perseguiu ex e nem agrediu médico

Caso teria acontecido ontem (6) e mulher procurou a Deam para denunciar o policial

Por Ana Paula Chuva | 07/04/2021 15:45
Fachada da Casa da Mulher Brasileira onde fica a Deam. (Foto: Henrique Kawaminami)
Fachada da Casa da Mulher Brasileira onde fica a Deam. (Foto: Henrique Kawaminami)

O policial militar aposentado, 58 anos, denunciado pela ex-mulher, 36 anos, por perseguição, afirma que situação não aconteceu e que só ficou sabendo de tudo após reportagem  do Campo Grande News. O caso aconteceu ontem (6) no Jardim Aeroporto, em Campo Grande.

Segundo o policial, que entrou em contato com a reportagem, as informações estariam contraditórias já que ele e a ex-mulher estão separados há menos de uma semana, e não há um ano conforme relatado por ela na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher).

“Eu fui embora de casa na sexta-feira Santa. Não tem essa de um ano separados. Nós estávamos juntos desde 2019, não tem nem uma semana que separamos”, disse por telefone.

Ao Campo Grande News o acusado conta ainda que ontem, por volta das 10h entrou em contato com a ex-companheira dizendo que pegaria o filho de 11 meses ao meio dia para passarem a tarde juntos, mas quando chegou no local a mulher não estava.

“Liguei para ela e combinamos tudo. Quando cheguei na casa ela não estava com a criança então fui na posto de saúde onde ela trabalha para saber o porque ela não tinha cumprido o combinado, quando cheguei falei com a recepcionista e o médico já foi saindo”, detalhou.

No relato ele afirma que quando o profissional saiu já dizendo que ele não era bem-vindo e pediu para que a recepcionista chamasse a polícia para retirá-lo dali.

“O médico já foi dizendo que eu não era bem vindo e que ia esfregar a reservista dele na minha cara. Que ia chamar a polícia. Nós discutimos e eu só dei um empurrão nele e fui embora para registar um boletim de ocorrência”, contou.

Ainda conforme o policial aposentado, ele procurou a 7ª Delegacia de Polícia Civil na Capital onde registrou um boletim de ocorrência de preservação de direito contra o médico e foi para casa. Desde então não teve mais contato com a ex-mulher e só ficou sabendo da situação hoje após o advogado enviar a reportagem.

“Eu não tava nem sabendo dessa história. O advogado me mandou agora e eu nem sabia de nada. Não tentei mais falar com ela desde ontem. Não persegui ninguém”, finaliza o homem.

Delegada Fernanda Piovano durante entrevista nesta manhã. (Foto: Henrique Kawaminami)
Delegada Fernanda Piovano durante entrevista nesta manhã. (Foto: Henrique Kawaminami)

O caso - Na manhã desta quarta-feira (7), em entrevista ao Campo Grande News, a delegada Fernanda Piovano disse que o policial aposentado responderá por crime de stalking após a ex-mulher procurar a Deam para registrar o boletim de ocorrências.

Segundo ela, a vítima contou que estava separada do policial há um ano e desde então vem sendo perseguida por ele. Ontem, inclusive ele teria ido ao trabalho da mulher e quando foi informado de que ela não estaria teria agredido o médico e xingado outros servidores da unidade de saúde.

Quando ficou sabendo do caso, a mulher então decidiu procurar a delegacia par registrar a ocorrência e solicitar medida protetiva.  Ela disse que um dos motivos da briga com o ex é porque ele insiste em passear com o filho, mas ela não deixa pelo fato do PM consumir bebida alcoólica constantemente. O fato segue sob investigação da Deam.


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário