ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEXTA  24    CAMPO GRANDE 28º

Capital

Policial que surtou em posto diz que usou cocaína e já respondeu por 2 crimes

À polícia, o servidor contou que já foi preso por crime de trânsito e processado por violência doméstica

Por Viviane Oliveira | 04/08/2021 11:21
Imagem mostra agente penitenciário quebrando carro de namorada em pátio em posto de combustíveis. (Foto: Direto das Ruas) 
Imagem mostra agente penitenciário quebrando carro de namorada em pátio em posto de combustíveis. (Foto: Direto das Ruas)

Policial penal federal há 15 anos, Alex Andrade Rios, que agrediu com socos e destruiu o veículo Honda Civic da namorada, de 27 anos, com barra de ferro, afirmou à polícia em depoimento, ter feito uso de bebida alcoólica e cocaína pela primeira vez, pouco antes do surto.

O caso aconteceu na noite de ontem (3), em posto de combustíveis localizado ao lado do Camelódromo, no cruzamento da Rua Noroeste com a Avenida Afonso Pena, região central de Campo Grande. O servidor público, de 45 anos, foi preso em flagrante por ameaça, injúria e dano qualificado.

Ele vai passar por audiência de custódia ainda nesta quarta-feira (4), para definir se ficará preso esperando o andamento do inquérito ou se poderá responder em liberdade.

À polícia, Alex disse já ter sido preso por crime de trânsito e processado por violência doméstica, mas não deu detalhes. Questionado sobre o fato ocorrido ontem à noite, contou que a namorada esperava o mecânico para ir até o local retirar o carro dela, com problemas desde a noite anterior.

Segundo ele, quando o profissional chegou, escutou a mulher chamando o homem de "meu amor”. Com ciúmes e ânimos exaltados, ele passou a quebrar o carro dela utilizando um pedaço de ferro. A cena foi registrada em vídeo por pessoas que passavam pelo local. Indagado se agrediu alguém, disse que não se lembrava.

Relatou ainda que, no momento dos fatos, não estava armado. Ele, segundo a polícia, agrediu a namorada, o mecânico e quebrou o para-brisa do carro, amassou o capô e a lataria do veículo. Após o crime, o interrogado entrou em seu carro e foi embora. Logo depois, foi surpreendido por policiais militares e levado para a Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher).

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário