A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

10/08/2011 18:37

Prefeitura decide licitar nova concessão de transporte coletivo na Capital

Fabiano Arruda

Executivo Municipal decidiu rescindir contrato com empresas que exploram o serviço em Campo Grande

Empresas querem aumentar preço da tarifa ou a prorrogação do contrato para fazer investimentos exigidos pela prefeitura. (Foto: Marcelo Victor)Empresas querem aumentar preço da tarifa ou a prorrogação do contrato para fazer investimentos exigidos pela prefeitura. (Foto: Marcelo Victor)

A Prefeitura de Campo Grande decidiu iniciar nesta quarta-feira o procedimento de abertura para novo processo de licitação para concessão do transporte coletivo urbano e, em consequência, a rescisão antecipada do contrato com as empresas permissionárias do transporte urbano que integram a Assetur, previsto para terminar em julho de 2014.

As informações foram dadas nesta quarta-feira, no Paço Municipal, pelo procurador jurídico do Município, Ernesto Borges. Segundo ele, as decisões foram tomas pelo prefeito Nelsinho Trad (PMDB) que se mostrou insatisfeito com o rumo das negociações.

O certame não deve ficar pronto em menos de seis meses. Até lá, conforme Borges, a prefeitura tem todos os mecanismos jurídicos de garantir a manutenção da qualidade do serviço na Capital, inclusive, com aplicação de multas.

“É uma fase de briga. Caso o sistema sofra qualquer tipo de problema o município tem ferramentas para restabelecer a ordem”, ameaçou Borges.

A cúpula da administração de Campo Grande ficou irritada com a dificuldade em negociar com a Assetur, já que contrato atual com a empresa foi regido há 13 anos e a empresa se mostrou irredutível durante a negociação ao avisar que só faria os investimentos exigidos pela Prefeitura caso o contrato fosse prorrogado ou a tarifa reajustada, hipótese rejeitada pelo município.

Além disso, prossegue Borges, uma nova licitação definiria projeto para o transporte coletivo de Campo Grande mais moderno, acompanhando o PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento) da Mobilidade Urbana.

Ainda conforme o procurador, a ruptura do contrato e a abertura do certame não comprometerão o pleito para a cidade receber os investimentos do PAC. “Pelo contrário vamos mostrar que estamos atitude”, garantiu.

Borges esteve reunido nesta tarde com o diretor presidente da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), Rudel Trindade, e Marcelo Amaral, da Agência de Regulação e Serviços, para debaterem o assunto.

Segundo Rudel, a decisão foi tomada para antecipar a melhoria do transporte coletivo urbano da Capital, ao invés de aguardar o término do contrato atual em 2014. “O contrato atual tem 13 anos, a cidade cresceu, surgiram novos elementos, sobretudo de modernização. O transporte coletivo ainda será cobrado sobre outros pontos, como o comprometimento com o meio ambiente, enfim, não poderíamos esperar”, comentou.

Rudel e Ernesto Borges falam do embate jurídico criado entre prefeitura e Assetur. (Foto: João Garrigó) Rudel e Ernesto Borges falam do embate jurídico criado entre prefeitura e Assetur. (Foto: João Garrigó)

O Campo Grande News entrou em contato com a Assetur. A entidade informou, por meio de sua assessoria, que não vai se pronunciar sobre o assunto.

Entenda - A proposta das empresas que detêm o controle do transporte coletivo urbano de Campo Grande apresentada ontem à tarde à Prefeitura teria proposto tarifa que passaria dos R$ 3. O documento, que causou irritação ao prefeito, faz parte da negociação entre empresas e prefeitura, que já se arrasta há meses.

Campo Grande pleiteia recursos para o PAC 2 da Mobilidade Urbana, projeto orçado em R$ 280 milhões para viabilização de corredores de ônibus. Em contrapartida, as empresas de transporte coletivo urbano do município devem fazer investimento que gira em torno de R$ 40 milhões e aí que está o ponto de discórdia.

Os empresários argumentam que os valores exigidos pela Prefeitura para execução do projeto, como ampliação da frota, com ônibus articulados e veículos com câmera, são altos para o contrato que dura mais três anos. Eles querem ou a renovação do contrato ou novo aumento da tarifa, que já ocorreu este ano.

PAC 2 - No início de julho, Nelsinho foi ao Ministério das Cidades para pleitear R$ 280 milhões em projetos no PAC da Mobilidade Urbana. Do total solicitado, R$ 160 milhões são para implantação de 68 km de corredor para o transporte coletivo.

Os projetos selecionados serão anunciados em agosto, provavelmente no dia 26, mas o ministério já exigiu mudanças no transporte coletivo campo-grandense com custo orçado em R$ 40 milhões. Pelos corredores de ônibus, devem circular linhas como Aero Rancho/Centro, Nova Bahia/Centro e Guaicuru/Shopping.

Para atender o Ministério das Cidades, a frota deverá ser ampliada em 30%, além de mais 20 ônibus articulados e todos os veículos com câmera.

Também foi exigido acessibilidade em 100% da frota, que hoje chega a 75% dos veículos. Os ônibus deverão ser dotados de GPS e as empresas deverão disponibilizar informações aos usuários, inclusive, por meio do celular.

Empresas de ônibus coletivo da Capital pedem tarifa acima de R$ 3
Prefeito Nelsinho Trad (PMDB) já descartou qualquer possibilidade de aumento da tarifa e não há respaldo jurídico para a prorrogação do contrato, qu...
Nelsinho diz que rasgou proposta de novo reajuste da tarifa de ônibus
O prefeito Nelsinho Trad (PMDB) diz que “rasgou” proposta apresentada ontem pela Assetur para reajuste da tarifa do transporte coletivo em Campo Gran...


Somente com concorrencia que o serviço vai melhorar!
 
Weverson Cruz em 12/04/2012 11:29:15
Parabéns Prefeito, se realmente isso acontecer vai acabar com o monopólio e com certeza nós teremos um transporte urbano de qualidade, o que não acontece hoje, pois é a concorrência que melhora um cerviço prestado. Fico na torcida que isso aconteça e que não seja mais uma estória.
 
gloria aparecida em 11/08/2011 10:18:32
Esses caras ganham rios de dinheiro em cima da população, e querem ganhar muito mais, porém, não demonstram o minimo respeito com aqueles que investem e pagam o "salário" deles, não porque querem, mas porque são obrigados. Afinal, é a segunda vez que eu pergunto: O que é transporte público? Transporte público é você pegar um onibus lotado, e contar mais de 100 pessoas ali dentro, fazendo uma conta rápida retiramos os 5 idosos, mais os 10 estudantes, temos então o numero de 85. 85 X 2,70 dá R$ 229,50 somente em uma viagem das mais de 10 que esse ônibus faz durante o dia. ABSURDO não ver esse dinheiro ser retornado em qualidade, mas sim, retornar em falta de qualidade!
 
Thiego Pacheco em 11/08/2011 09:12:00
Estou muito feliz com o Sr. Prefeito! Até que enfim deu basta neste aumento de passagens. Espero que a Assetur, pare de ficar cobrando e faça algo de bom para o nosso transporte coletivo!
 
Carla Fernanda em 11/08/2011 07:58:40
Cada vez me surpreendo mais com a administração pública brasileira, em especial a campo-grandense. Mas dessa vez me surpreendo positivamente, pois somente um político sério, responsável e com visão de futuro pode exigir com tamanha autoridade tudo que o Nelsinho está exigindo das empresas de transporte coletivo. Não seria novidade se, em alguma outra cidade, a forte pressão do sindicato acabasse manipulando o chefe do executivo municipal a seus sabores com propinas, subornos, ameaças, enfim, toda sorte de artifícios que existe para tolher a capacidade produtiva do povo brasileiro. Parabéns ao Nelsinho, parabéns à administração municipal.
 
Silvio Neves em 11/08/2011 07:56:19
Apoio o Prefeito na decisão tomada. A situação do transporte coletivo de CG esta precária. Não é somente ônibus velhos e com problemas. A falta de respeito com os usuários também se torna um problema. As empresas cobram dos funcionários que, para mostrar serviço, trabalham no limite e isso influi na qualidade do serviço prestado. O que mais ocorre são os 'pequenos acidentes': motorista fechando usuários nas portas, andando em alta velocidade, não param nos pontos, entre outros. E quando o serviço não é prestado da forma correto e com qualidade, isso é fato, as pessoas tendem a cobrar mais por serviços melhores, gerando reclamações, descontentamento e indignação porque as empresas de transporte coletivo nada fazem!!!
 
Angélica de Castro Nascimento em 11/08/2011 07:55:05
Licitação? Lá se vão pelo menos 60 dias até tudo se decidir. Vamos ver se desta vez, serão várias empresas diferentes, e que se coloque a modalidade de menor preço pela tarifa, atendimento às exigências do PAC acessibiliade/transporte e melhor capacidade técnica.
 
Daniel Francelino da Silva em 11/08/2011 06:35:44
Parabéns, prefeito, são assim mesmo que se deve fazer chega de ficar nas mãos desses coronéis do transporte coletivo, pagamos muito e recebemos também muito, atraso, ônibus lotado, sujeira, desconforto total.
Já estava na hora de alguém tomar uma atitude. Parabéns.
 
Marcio Cordeiro em 11/08/2011 02:17:17
Manobra politica ou não, gostei muito da atitude da prefeitura em finalizar esse contrato, chega desse monopólio onde apenas alguns são beneficiados e a grande maioria da população é prejudicada, o pior de tudo é que ainda tem a cara de pau de pedir aumento na tarifa acima dos R$ 3,00 eles ou estavam de brincadeira com a cara da população ou estavam mesmo querendo perder o contrato milionário que tinham com a prefeitura agora esperamos que pessoas sérias e competentes possam assumir e resolver os problemas que enfrentamos todos os dias no transporte caótico e falido da nossa cidade, agora prefeito, e pessoal responsável pelo transporte, vamos buscar boas referencias para modernizar nosso serviço, aprendam com o serviço de Curitiba, Brasília ai sim seremos bem atendidos essa falta de vontade matou esse pessoal da Assetur.
Adeus já eraaaaa!!!!!
 
Oswaldo Benites em 10/08/2011 11:31:31
É isso ai Nelsinho,mete fundo nessas empresas de onibus daqui de campo grande.Eles nunca pensaram em seus usuarios,e sim,somente em seus próprios bolsos.Onibus uma porcaria,funcionarios para eles é igual a cachorro,inclusive,venho aui também informar que meu irmao era motorista da SERRANA e lá seu prefeito,eles colocaram uma"ditadura" ou seja,se o motorista bater o veiculo,estando certo ou não é DEMISSAO POR JUSTA CAUSA.Meu irmao se enquadrou nele...13 anos de serviços prestados para essa M... de empresa e recebe isso,JUSTA CAUSA..Então Nelsinho,bota pra quebrar mesmo nesses lixos.!!!!!!!!! Parabéns prefeito!!!!!!!!!
 
Odorico Paraguassu Nefrolãndio Junior em 10/08/2011 11:30:18
Parabéns, Prefeito Nelsinho, Não se intimide de levar a cabo essas medidas porque a população tem sofrido muito com o serviço prestado pelas empresas existentes. Campo Grande é uma Capital e precisa de um serviçi à altura das necessidades da sociedade Campograndense.Persiga Prefeito, persiga esse foco é verá os dividendos para toda a sociedade e para o Senhor como administrador público. Tenho dito.
 
JOÃO ALVES DE SOUZA em 10/08/2011 11:11:44
Bem, se o prefeito queria reconquistar a confiança dos seus eleitores, pelo menos a minha ele conseguiu. O transporte publico de Campo Grande é ruim e caro, os controladores das empresas que formam a assetur não tem visao, com o transito da capital cada vez mais conturbado, um transporte publico eficiente(entenda-se por eficiente rapidez e conforto por um preço justo) seria um otimo pretexto para deixar o carro em casa.
Sou estudante de engenharia e na minha concepção o veiculo do futuro é um coletivo.
 
Gerson Dias em 10/08/2011 11:00:35
Isso ai prefeito o Sr tem todo direito de tomar decisões pelo povo afinal quem o olegeu né...as empresas não estão interessadas em melhorar não...eles querem mais e mais grana...estão ai fazendo mais chantagem... até na mudança por cartões, em vez de dinheiro, quem decidi somos nós se pagamos em dinheiro né...agora os cartões que as vezes nem passa na catraca fica difícil...Sr Prefeito sofremos muito com o transporte coletivo principalmente nos fins de semana, parece que as empresas acham que não trabalhamos...fica reduzida a flota...além do domingo que ficamos horas e horas esperando a boa vontade do ônibus passar é uma vergonha principamente para Campo Grande uma cidade que a cada dia cresce mais e se desenvolve, mais estrutura...Campo Grande está linda com mais shopping, mais lazer...tudo isso incrementa uma administração séria e por isso me indigno quando vejo que as empresas só querem lucrar e nem vê o lado do cidadão...isso ai Prefeito Nelsinho sempre terá meu apoio...
 
Elayne Fontes em 10/08/2011 10:00:24
Tomara que realmente venham empresas de fora de Campo Grande. Pois dono de uma, é dono da outra, e assim vai... se não é dono, é parente,. e o circulo continua.
 
Marcelo Max em 10/08/2011 09:38:00
Nosso prefeito está de parabéns agindo assim e não sendo refém dessas empresas que estão estrapolando os limites do mal serviço prestado. Nosso transporte urbano é de péssima qualidade e talves o quarto mais caro do país. Paga mal seus funcionários, tem ônibus velhos do tipo rasga-roupas, sujos, com campainhas em sua maioria defeituosas. Em horário de pico o serviço fica pior do qualquer cidade com mais de 5 mihões de habitantes. Nas linhas onde seria para esperar o menor tempo possível a passagem de um ônibus, na maioria das vezes espera-se mais de 45 minutos e quando surge algum desses, ele vem seguido de dois ou três em filas e todos lotados. Para se ter uma idéia, basta ficar observando nos pontos de linhas integradas que fica na Rua Maracajú nos pe´riodos de rush.
É lamentável tudo isto e ainda tivemos uma torcida enorme querendo trazer a Copa para nossa bela Capital Morena. Em Curitiba, cidade três vezes maior que Campo Grande, a passagem não custa o que custa aquí e o serviço de transporte urbano é de causar inveja à qualquer um que vai conhecer aquela, também, linda Cidade.
 
Ezio José em 10/08/2011 09:28:03
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions