ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUINTA  16    CAMPO GRANDE 22º

Capital

Prefeitura pede 351 mil doses para vacinar "Campo Grande inteira" imediatamente

Pedido foi feito pessoalmente ao ministro Marcelo Queiroga; estimativa considera pessoas com mais de 18 anos

Por Liniker Ribeiro | 09/06/2021 14:27
Rosana, diretora-presidente do HR (à esquerda), Marcelo Queiroga, ministro da saúde, no meio, e José Mauro, secretário municipal de saúde (Foto: Divulgação)
Rosana, diretora-presidente do HR (à esquerda), Marcelo Queiroga, ministro da saúde, no meio, e José Mauro, secretário municipal de saúde (Foto: Divulgação)

A prefeitura de Campo Grande solicitou ao Ministério da Saúde, na manhã desta quarta-feira (9), 351 mil doses de vacinas contra a covid-19. A intenção do município é concluir, de forma imediata, a aplicação, pelo menos, da primeira dose em toda a população local, com mais de 18 anos. O pedido foi feito pelo secretário municipal de saúde, José Mauro Filho, ao ministro Marcelo Queiroga, durante encontro em Brasília (DF).

Na análise feita pelo secretário municipal, vacinar toda a população campo-grandense permitirá que a Capital continue sendo referência no atendimento à pacientes transferidos do interior do Estado.

“Nós precisamos avançar o quanto antes com a imunização da nossa população. A única maneira de romper esse ciclo (aumento de casos) é a vacinação, aliada ao distanciamento e às medidas de higienização e proteção que devem ser permanentes”, completou.

De acordo com o “Vacinômetro” da prefeitura, até o início da tarde de hoje, 323.366 pessoas receberam a primeira dose da vacina contra a covid-19, na Capital. Esta manhã, 426 foram vacinadas, número abaixo da média diária, mas que deve aumentar a partir de amanhã (10), quando novas doses da vacina Astrazeneca serão enviadas pelo Ministério da Saúde ao Estado, chegando, consequentemente, novas doses para Campo Grande.

Atendimento – José Mauro aproveitou o encontro para expor a preocupação quanto à assistência da população diante do alto número de casos e internações provocadas por complicações da covid-19. Com isso, o secretário solicitou 50 “kits” contendo respiradores, monitores e bombas de infusão, para montagem de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e também medicamentos do chamado “kit intubação” para abastecer as unidades hospitalares de Campo Grande.

Do início da pandemia até agora, Campo Grande triplicou a capacidade de internação de pacientes em estado crítico, saindo de 116 para os atuais 338 leitos de UTI contratualizados na rede pública, privada e filantrópica.

A diretora presidente do Hospital Regional de Mato Grosso do Sul, Rosana Leite de Melo, acompanhou o títular da pasta municipal até Brasíla, onde também solicitou kits intubação para o hospital.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário