A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

05/10/2016 10:00

Prefeitura responde a três ações por precariedade em postos de saúde

Investigação descobriu irregularidades, falta de médicos e equipamentos

Mayara Bueno
Centro de saúde do Nova Bahia é alvo de ação na Justiça. (Foto: Alcides Neto)Centro de saúde do Nova Bahia é alvo de ação na Justiça. (Foto: Alcides Neto)

Falta de médicos, equipamentos e pelo menos 180 irregularidades no CRS (Centro Regional de Saúde) motivaram mais uma ação civil pública contra a Prefeitura de Campo Grande. Na Justiça, o MPE-MS (Ministério Público Estadual de MS) quer que o Município seja obrigado a adequar a unidade.

Esta já é a terceira ação movida contra a Prefeitura, a respeito de unidades de saúde em condição precária na cidade. Já houve processos para equipar os centros do Coronel Antonino e Vila Almeida.

No novo processo, o Ministério Público aponta que há salas inutilizadas, mobiliários com defeitos, cadeiras e poltronas quebradas e até cadeira de rodas com defeito.

Por exemplo, em sete consultórios do centro não há equipamentos necessários, como balanças antropométricas, estetoscópios e otoscópio, além de macas e mesas para exames e escadas. Na sala de emergência, os três leitos não contam com bomba de infusão, oxímetros de pulso, cilindros de oxigênio e ventiladores mecânicos.

MPE foi à Justiça para Prefeitura equiparar unidade da Nova Bahia. (Foto: Alcides Neto)MPE foi à Justiça para Prefeitura equiparar unidade da Nova Bahia. (Foto: Alcides Neto)

Em relação aos equipamentos que possui, a unidade também tem em quantidade insuficiente. Somente um desfibrilador, cardioversor, sem a função marca-passo externo, um monitor cardíaco, uma maca para transporte, “sendo tais equipamentos insuficientes para a prestação de serviço”.

Os médicos pediatras, por exemplo, só atuam no período noturno, de segunda-feira a sábado, conforme apontou a investigação. Na maioria dos dias, a escola só conta com um a dois médicos.

Na Justiça, o pedido é para que a Prefeitura equipe o Centro Regional, com todos os aparelhos, equipamentos e materiais mínimos em quantidade proporcional ao porte da unidade.

Também quer que a unidade regularize os problemas apontados em relatório situacional do CRS Nova Bahia. Se a ação for aceita pela Justiça, mas não cumprida pelo Município, uma multa deverá ser aplicada.

A reportagem do Campo Grande News entrou em contato com a Prefeitura de Campo Grande, via email, mas não houve retorno até o fechamento e publicação deste texto. Ao Município, os questionamentos foram se já havia sido notificado sobre o processo e se existe alguma ação já prevista para resolver a situação do centro de saúde.

Mais um paciente com suspeita de gripe morre em unidade de saúde
Com suspeita de H1N1, João Livalda, 57 anos, morreu nesta madrugada (1º) após ser internado na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Vila Almeida, e...
Para 78% dos leitores, atendimento nas unidade de saúde deixa a desejar
Na semana em que um técnico de enfermagem foi agredido a chutes e socos após confusão durante exame de sangue na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) ...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions