ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEXTA  07    CAMPO GRANDE 28º

Capital

Prefeitura vai fechar comércio às 17h e restringir atividades no fim de semana

Novos decretos valem de 18 a 31 de julho e também limitam atendimento a 30%

Por Ângela Kempfer | 14/07/2020 17:58
Movimento nas ruas de Campo Grande segue em alta, apesar dos pedidos de isolamento. (Foto: KIsie Ainoã)
Movimento nas ruas de Campo Grande segue em alta, apesar dos pedidos de isolamento. (Foto: KIsie Ainoã)

Entre as novas medidas para conter o avanço do coronavírus em Campo Grande, a prefeitura v anunciar nessa quarta-feira (15) a redução no horário de funcionamento do comércio durante dias úteis e a suspensão de todas as atividades não essenciais aos fins de semana. Será uma versão do temido "lockdown", em doses bem mais leves, como tem sido adotado por municípios do interior.

De segunda a sexta, as lojas, que atualmente têm autorização para funcionar até às 18h, devem fechar uma hora mais cedo a partir da próxima segunda-feira, com encerramento das atividades às 17h. Em alguns serviços, como cabeleireiros, o atendimento deve ser limitado a 30%.

Mas já no próximo dia 18 de julho, devem entrar em vigor as restrições mais severas para os fins de semana.  Aos sábados e domingos, só poderão abrir aqueles estabelecimentos considerados essenciais, assim como ocorreu nas duas primeiras semanas de combate à pandemia na Capital.

Entre 21 de março e 5 abril, logo após as primeiras confirmações de covi-19 na cidade, a prefeitura baixou decreto estabelecendo que poderiam continuar abertos ao público apenas farmácias, hipermercados, supermercados, feiras livres, açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros, quitandas e centros de abastecimento de alimentos, como Ceasa.

Também foi liberado o funcionamento de lojas de conveniência, lojas de venda de alimentação para animais, distribuidores de gás, lojas de venda de água mineral, padarias, restaurantes, lanchonetes e postos de combustível.

Continua vigente o toque de recolher entre 20h e 5h, além das restrições nos ônibus. Uma das primeiras decisões da prefeitura foi bloquear passes de estudantes e idosos, o que reduziu o fluxo de passageiros a cerca de 65 mil durante a semana, 30 mil pessoas aos sábados e, no máximo, 2,3 mil usuários aos domingos. Os novos decretos vão valer de 18 a 31 de julho.


Avanço perigoso - Epidemiologistas passaram a cobrar medidas mais restritivas em Campo Grande depois da disparada de mortes em decorrência do coronavírus, desde o fim de junho.

No dia 1º deste mês, eram 12 óbitos, nesta terça-feira são 45, conforme boletim atualizado da Secretaria Municipal de Saúde.

A cidade tem mais de 4,7 mil casos da doença e chegou a 70% de taxa de ocupação de UTIs. Hoje, 69 pacientes estão em Unidades de Terapia Intensiva, com os sintomas mais graves da covid-19.

Em Mato Grosso do Sul, Coxim e Sonora também resolveram fechar todas as atividades não essenciais aos fins de semana.