A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

14/09/2012 12:30

Exame de DNA aponta autor de estupro, 6 anos após crime

Viviane Oliveira e Nadyenka Castro

Preso, homem confessou estupro e disse que está arrependido

Durante a entrevista ele chorou e disse que é viciado em sexo. (Foto: Minamar Júnior)Durante a entrevista ele chorou e disse que é viciado em sexo. (Foto: Minamar Júnior)

Luiz Carlos do Carmo Borges, de 32 anos, acusado de estuprar uma mulher em 2006 foi preso por volta das 13 horas de ontem (13), no bairro Moreninhas, em Campo Grande.

De acordo com a delegada da Deam (Delegacia de Atendimento à Mulher), Marília de Brito, o estupro foi em 2006 na casa da vítima, também no bairro Moreninhas.

À Polícia, a mulher contou que no dia do crime estava sozinha na casa, quando o estuprador pulou o muro, desligou o padrão de energia elétrica e a ameaçou com uma faca.

Em depoimento, a vítima, que na época tinha 25 anos, relatou durante a violência sexual tentou passar a mão no cabelo do homem para perceber alguma característica, porém ele estava com uma bermuda amarrada na cabeça.

Logo após o crime ela registrou boletim de ocorrência, sendo coletado material para fazer exame de DNA. Depois do estupro, Luiz começou a ligar para a mulher e dizia frases relacionadas à violência sexual.

Antes do estupro, Luiz também ligava para a mulher, sempre dizendo frases relacionadas a sexo e já havia deixado na caixa de correios da casa dela, imagens pornográficas tiradas de revistas.

Depois do estupro, vítima reconheceu a voz e começou a anotar os números e percebeu que eram telefones de orelhões do bairro. A situação foi relatada por ela à Polícia Civil.

Em 2010, Luiz foi detido, liberado e indiciado por importunação ofensiva ao pudor. Ele mandou bilhetes com frases relacionadas a sexo a cinco jovens.

No período que esteve na delegacia por conta dos bilhetes, foi submetido ao exame de DNA e após resultado a delegada confirmou que ele havia estuprado a mulher em 2006.

À imprensa, Luiz disse, chorando, que seguiu a mulher por três dias, e que é viciado em sexo. À Polícia, falou que estava desempregado e não tinha dinheiro para contratar garotas de programas.

A delegada Marília de Brito explica que, todos os boletins de ocorrência que não tem autoria ficam agrupados e são constantemente analisados independente do ano. “O ideal é que a vítima procure o mais rápido possível a Polícia para ser feita a coleta do material”, disse.



Agóra ele vai enjoa de sexo na ca
deia com os outros preso , só que ele sera o passivo kkkk
 
valdir soares em 15/09/2012 05:39:00
é Fabiana Rocha... todos esperam que este animal mofa na prisão.... é só nossas queridas leis não decidirem soltar mas este... como fez alguns dias atrás com o estrupados conhecido como maníaco da Chacara das Mansões.
 
valeria leal franco em 14/09/2012 09:51:00
A justiça tarda mas não falha!!! que mofe na cadeia! Isso é o mínimo que esse doente merece!
 
Fabiana Rocha em 14/09/2012 04:07:58
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions