ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEGUNDA  27    CAMPO GRANDE 20º

Capital

Preso por assassinar estudante de MS confessa que queria matar 'um por semana'

Plano dele era roubar as vítimas , com o dinheiro conseguido ali, se sustentar no decorrer daquela semana

Por Nyelder Rodrigues | 29/05/2021 17:19

José Tiago Correia Soroka, de 33 anos, preso pelo assassinato de três homens gays em Curitiba (PR) e um no interior de Santa Catarina, afirmou aos policiais que pretendia matar um homossexual por semana para roubá-los e se manter com esse dinheiro. Ele foi detido hoje na periferia da capital paranaense.

A informação sobre o plano macabro de José Tiago, apelidado também de Japa, foram divulgadas pelo portal UOL. Entre suas vítimas, está o estudante campo-grandense Marcos Vinícios Bozzana da Fonseca, de 25 anos, que morava em Curitiba sozinho em um apartamento. Ele cursava Medicina na PUC (Pontifícia Universidade Católica) local.

Além de Marcos, morto no dia 4, também foram executados por Japa: David Júnior Alves Levisio - morto em 27 de abril - e Robson Olivino Paim - morto em 16 de abril. Este último ocorreu ocorreu em Abelardo da Luz (SC).

Localizado em uma pensão no bairro de Capão Raso, periferia de Curitiba, Japa estava há cinco dias ali. Ele foi achado pela polícia paranaense após denúncia e cruzamento de dados. Depois de preso, ele foi depor na DHPP (Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa), onde permanece detido - estava com mandados de prisão em aberto.

Imagens de José Tiago divulgadas pela polícia paranaense antes dele ser encontrado (Foto: PC-PR/Ascom)
Imagens de José Tiago divulgadas pela polícia paranaense antes dele ser encontrado (Foto: PC-PR/Ascom)

"Ele nos disse que a intenção dele nos crimes era cometer roubos, embora tenhamos alguns elementos de que pode existir componente de ódio nas ações dele", completa a delegada Camila Cecconello, que atua no caso ao lado do delegado Thiago Nóbrega. "Agora vamos fazer diligência para identificar possíveis outras vítimas", conclui.

Marcos, assim como as outras vítimas, ele era homossexual. Uma quarta pessoa também foi atacada por ele, mas conseguiu escapar, se transformando em peça chave para encontrar José Tiago - havendo então identificação por fotos e vídeos.

Apontado como serial killer, ele executava as vítimas com estrangulamento, as cobrindo posteriormente, a modo que fez com que a polícia suspeitasse tratar de um assassino em série. Para atrair as vítimas, ele usava perfis falsos em aplicativos, conseguindo então ir até a casa dos seus alvos.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário