ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SÁBADO  25    CAMPO GRANDE 19º

Capital

Preso que planejava fuga violenta já comandou grande assalto na Capital

Tiago Vinícius Vieira já havia sido preso em 2010, quando assaltou o shopping Norte Sul Plaza

Por Luana Rodrigues | 13/06/2017 13:56
Arma apreendida durante a operação deflagrada nesta manha (Foto: divulgação/Polícia Federal)
Arma apreendida durante a operação deflagrada nesta manha (Foto: divulgação/Polícia Federal)

Tiago Vinícius Vieira, de 31 anos, considerado o chefe de uma quadrilha presa pela PF (Polícia Federal) na manhã desta terça-feira (13), durante a operação Cerberus, é uma velho conhecido da polícia de Mato Grosso do Sul.

Em 2010, ele foi preso depois de participar de um assalto ao shopping Norte Sul Plaza, em que foram roubados R$ 3,8 mil em dinheiro, além de diversas peças de joias.

O roubo ocorreu no mês de maio e movimentou a polícia local. Mas, foi um plano frustrado, pois alguns dos envolvidos acabaram presos horas após o crime.

Na época, a polícia classificou o grupo, do qual Tiago era membro, como uma quadrilha especializada em grandes assaltos, pois a ação havia sido planejada com um mês de antecedência e buscava vários alvos na Capital.

Já havia até um "QG" montado pela quadrilha no bairro jardim Colibri, para centralizar os planos do grupo. A primeira ação seria contra o carro forte que abastecia a agência bancária da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), mas os riscos fizeram a quadrilha mudar o plano para o shopping.

Depois, a idéia era assaltar a tesouraria do Fort Atacadista, que ocupava a maior parte do prédio do shopping. Mas, a quadrilha só acabou levando R$ 2,2 mil de um supermercado e R$ 1,6 mil do cofre da agência do Bradesco, além da joalheria Mandalla, onde os ladrões recolheram as peças que estavam em exposição.

Tiago Vinícius Vieira, em foto divulgada pela PF. (Foto: Divulgação)
Tiago Vinícius Vieira, em foto divulgada pela PF. (Foto: Divulgação)

Na época, Tiago estava solto havia quatro meses, depois de cumprir pena no Paraná por assassinato e roubo. Desde então ele tinha como hábito envolver a família em seus crimes.

A casa onde funcionava o “QG” da quadrilha havia sido alugado no nome da mãe de Thiago. Na casa da namorada dele, no Jardim Colúmbia, foram encontrados coletes a prova de balas, uma pistola e uma metralhadora, mas a jovem também disse que não tinha conhecimento das armas. Tiago foi preso ao lado da irmã, que na época tinha 18 anos.

Em entrevista coletiva à imprensa, logo após sua prisão, aparentemente tranquilo e com ar de desdém, o jovem respondeu todas as perguntas feitas pelos jornalistas. Sempre com frases curtas, ele disse que já havia praticado alguns roubos, antes de cumprir pena e contou detalhes do crime.

Armas apreendidas durante a operação deflagrada nesta manha (Foto: divulgação/Polícia Federal)
Armas apreendidas durante a operação deflagrada nesta manha (Foto: divulgação/Polícia Federal)

Operação Cerberus – Quatro pessoas, sendo três homens e uma mulher, foram presas durante a operação da Polícia Federal realizada nesta manhã (13) para desmantelar organização criminosa especializada em contrabando de armas.

Os detidos planejavam resgatar Tiago Vinícius Vieira do Presídio de Segurança Máxima e matar agentes penitenciários.

Na casa da namorada do detento, foram encontradas uma pistola, munições e R$ 8 mil. Dinheiro que, segundo a Polícia Federal, seria usado durante o resgate do preso.

As investigações começaram em março, quando o líder da organização criminosa planejou tentativa de fuga da Penitenciária de Três Lagoas com uso de uma pistola calibre .380.

Após esta primeira tentativa, o presidiário foi transferido para a Penitenciária de Segurança Máxima da Capital. Ele, então, passou a contar com o apoio de sua namorada e outros três comparsas para contrabandear armas de fogo, além de planejar nova tentativa de fuga e possível assassinato de agentes penitenciários durante escolta para consulta médica.

Os envolvidos vão responder pelos crimes de formação de organização criminosa, posse e comércio ilegal de armas de fogo de uso restrito e fuga de preso, cujas penas somadas podem chegar a 28 anos de prisão.

Em poder deles, foram apreendidos quatro veículos, seis pistolas, cinco coletes balísticos especiais, relógios, objetos de alto valor, além de R$ 8 mil. Dario Aparecido Cunha de Almeida Júnior, Matheus da Silva Alves, Deyvidson Júnior Lourival de Souza Oliveira e a namorada de Tiago, Mayara Alves de Souza, 25 anos, foram detidos em casa.

Ainda não se sabe com seria o resgate, mas segundo o delegado da Polícia Federal, Cléo Mazzotti,a ação seria violenta por conta da quantidade de armas. “A vida de civis e agentes da segurança pública seriam colocadas em risco”, afirma a autoridade policial.

Os mandados de prisão e busca e apreensão foram cumpridos na região dos bairros Rita Vieira, Morumbi e Itamaracá. Tudo indica, segundos a polícia, que as armas eram compradas no Paraguai e seriam revendidas no sudeste do País.

Nos siga no Google Notícias