A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

14/05/2015 18:13

Procura por vacina da gripe aumenta nos postos e clínicas particulares

Michel Faustino
Preocupação com doenças respiratórias e gripe aumentam procura nas unidades. (Foto: Marcelo Calazans)Preocupação com doenças respiratórias e gripe aumentam procura nas unidades. (Foto: Marcelo Calazans)
Amanda esperou filho que estava doente melhorar para poder vacina-lo. (Foto: Marcelo Calazans)Amanda esperou filho que estava doente melhorar para poder vacina-lo. (Foto: Marcelo Calazans)

A queda da temperatura e o tempo seco do outono coincidem com o aumento das doenças respiratórias e da busca por atendimento na rede de saúde. No entanto, muita gente não se antecipou e deixou para se vacinar contra a gripe “em cima da hora”, o que ocasionou um aumento na demanda dos postos de saúde e clínicas particulares da Capital.

A campanha nacional de imunização contra a gripe começou na última terça-feira (05), e segue até o dia 22 de maio. Até segunda-feira (11) pouco mais de 50 mil pessoas, enquadradas no público-alvo, foram imunizadas. Nesta semana - de segunda até hoje - a procura nas unidades de saúde praticamente dobrou.

As três clínicas particulares da Capital procuradas pelo Campo Grande News registraram aumento na procura pela vacina ou por informações referentes à imunização. Em alguns casos, o movimento aumentou em mais de 50%. Em um dos locais, na última semana, foram aplicadas 50 doses por dia, em uma ação coletiva de uma empresa. Ontem, o número subiu para 120.

Autoridades em saúde acreditam que este aumento é decorrente da procura "moderada" nos primeiros dias da campanha, em virtude de atemporalidades, como a queda de temperatura, chuva e até a mesmo o problema com a distribuição das vacinas.

É o caso da dona de casa Ariane de Jesus Oliveira, 27 anos, que preferiu levar o pequeno Diogo Augusto, de 03 anos, para vacinar somente esta semana.

“Semana passada tava mais frio e choveu. Ai eu preferi deixar pra ir esta semana que o tempo tá melhor. Mesmo assim, se não melhorasse eu ia trazer ele logo porque eu acredito que a vacina é muito importante para evitar que ele fiquei doentinho (sic)”, comentou.

Já Amanda Florentino, 22 anos, diz que o filho, de 11 meses, já estava sentindo os efeitos da queda de temperatura e tempo seco e chegou a ficar doente, assim que ele melhorou, ela decidiu procurar a unidade de saúde.

“Ele estava doente por isso não trouxe antes, inclusive com gripe. Aí ele deu uma melhorada e trouxe para vacinar. Acredito que assim é melhor que agora com este tempo ruim ele fica mais protegido”, comentou.

Vacinação - O objetivo é vacinar 80% do público-alvo de 185 mil pessoas durante o período de Campanha, que teve início na terça-feira (05) e segue até 22 de maio. A campanha abrange crianças de seis meses a menos de cinco anos de idade, pessoas com doenças crônicas, trabalhadores de saúde, população indígena e carcerária, gestantes, puérperas, idosos com 60 anos ou mais, trabalhadores de saúde e funcionários dos estabelecimentos prisionais. A Sesau orienta que é importante levar aos postos de saúde o cartão de vacinação e um documento de identificação.

De acordo com a coordenação da Campanha, está prevista a vacinação de 18.710 trabalhadores da saúde, 10.271 gestantes, 1.188 puérperas, 80.080 idosos, 20.456 pessoas com doenças crônicas, 20.500 crianças entre seis meses e um ano e 33.846, na faixa etária de dois a quatro anos de idade.

No ano passado, Campo Grande conseguiu superar a meta de vacinar 80% do público-alvo. Foram imunizadas 139.002 pessoas, sendo 68.315 idosos, 39.641 crianças, 21.481 trabalhadores em saúd, 6.770 gestantes, 1.241 puérperas e 1.544 indígenas.As pessoas com doenças crônicas devem apresentar também prescrição médica no ato da vacinação. Pacientes que já fazem parte de programas de controle das doenças crônicas do Sistema Único de Saúde devem procurar unidades em que estão cadastrados.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions