A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

09/04/2015 18:41

Promotor diz que 80% dos casos de violência em escolas são desacato

Kleber Clajus
Estatística foi apresentada pelo o promotor da Vara da Infância, Adolescência e Juventude, Sérgio Harfouche, durante audiência pública sobre segurança nas escolas na Câmara Municipal (Foto: Marcelo Calazans) Estatística foi apresentada pelo o promotor da Vara da Infância, Adolescência e Juventude, Sérgio Harfouche, durante audiência pública sobre segurança nas escolas na Câmara Municipal (Foto: Marcelo Calazans)
Encontro ainda teve defesa de videomonitoramento nas unidades escolares para facilitar o trabalho de forças de segurança (Foto: Marcelo Calazans)Encontro ainda teve defesa de videomonitoramento nas unidades escolares para facilitar o trabalho de forças de segurança (Foto: Marcelo Calazans)

Desacato é a ocorrência mais frequente de violência no ambiente escolar pontuou, nesta quinta-feira (9), o promotor da Vara da Infância, Adolescência e Juventude, Sérgio Harfouche, em audiência pública na Câmara Municipal de Campo Grande. No evento, representantes da Polícia Militar e Guarda Municipal também defenderam o videomonitoramento para evitar agressões e consumo de drogas dentro e fora das unidades de ensino.

Conforme o promotor, cerca de 80% dos alunos cometem desacato contra servidores da educação e 10% atos de indisciplina como agressões e danos ao patrimônio público. A situação poderia ser revertida caso houvesse aplicação de projeto para reparação de danos ou realização de atividades extracurriculares. Proposta de projeto de lei foi entregue por Harfouche aos vereadores por entender que “delegacia não é para tratar indisciplina, mas reparar danos serve como serviço de orientação pedagógica contra a violência”.

Outra ferramenta auxiliar é o videomonitoramento defendido como alternativa a presença física dos agentes de segurança pública que, de acordo com Carla Stephanini (PMDB), pode soar como “repressão”.

Valério Azambuja, titular da Secretaria Municipal de Segurança Pública, pontuou que o problema da violência “está na casa dos alunos”, onde a educação ofertada pelos pais necessita de reforço. Ele ainda ressaltou que 85 das 95 escolas municipais são atendidas por guardas municipais, sem contar os 102 Ceinfs (Centros de Educação Infantil) existentes.

Já o comandante da Polícia Militar, coronel Deusdete Oliveira, ressaltou que o videomonitoramento e controle de acesso as unidades escolares pode efetivamente tornar o trabalho policial mais rápido e preciso. Áreas com maior incidência de casos de violência escolar foram mapeadas para reforço, em especial contra a comercialização de drogas. “São áreas no Aero Rancho, Moreninhas, Vila Nhá Nhá e Nova Lima, onde também fortalecemos a polícia comunitária para nos auxiliar a reduzir esses problemas”.

A audiência de hoje foi realizada pela Comissão Permanente de Segurança Pública, tendo sido solicitada pelo vereador Ayrton Araújo (PT).

Na ocasião também se tratou da segurança nos terminais de ônibus, locais em que a Guarda Municipal reforçou fiscalização em horários de pico entre 6h–9h e 18h–19h. Ainda se aguarda reforma e construção de novas estruturas com investimento de R$ 8 milhões do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions