ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEXTA  14    CAMPO GRANDE 25º

Capital

Proprietário diz que PM alugou espaço e "abusou" de festa na Chácara dos Poderes

Há meses moradores da região reclamam de festa com aglomeração e som alto em chácara alugada para eventos

Por Ângela Kempfer | 13/07/2020 17:48
Aglomeração flagrada na noite de domingo, na Chácara dos Poderes, em Campo Grande. (Foto: Divulgação Guarda Civil)
Aglomeração flagrada na noite de domingo, na Chácara dos Poderes, em Campo Grande. (Foto: Divulgação Guarda Civil)

Proprietário de espaço de eventos na Chácara dos Poderes admite que o fim de semana foi de excessos, apesar da pandemia.  Depois de enxurrada de denúncias sobre "bagunça" que chega a durar 3 dias, na noite de domingo a Guarda Civil Metropolitana encontrou no local cerca de 40 pessoas sem qualquer medida de segurança contra a covid-19 e acabou com a festa que abusava do som.

Hoje, o dono do "Espaço Vargas", Maicon Vargas, garantiu que não sabia da aglomeração. Disse que "emprestou" a chácara para um policial militar, conhecido como Paulinho, com a certeza de que não haveria qualquer problema caso ocorresse denúncia. "Ele disse que já tinha avisado até o povo lá do Comando (da PM) que não era para bater lá", garante.

Em uma conversa cheia de contradições, Maicon primeiro contou que havia "emprestado" o local para um aniversário. Mas depois definiu o evento como "uma social com pagode" e chegou a citar ter cobrado R$ 450 para a "manutenção". Também disse que o lugar seria usado por um amigo e logo em seguida falou em um "amigo, do amigo, do amigo" .

O que ele repete em todas as versões é que para usar o espaço há regras, como não usar outra aparelhagem de som que não seja a do próprio lugar. "Tenho uma caixa que eu uso lá para festas de família, que é o suficiente para não fazer barulho alto e não incomodar os vizinhos", diz.

Ele garante que quando soube dos abusos no lugar, na noite de domingo, em plena pandemia, pediu para que os organizadores encerrassem a festa. "Eu estava em Bonito fazendo um evento, ai começaram a me mandar vídeos e fotos. Na hora mandei parar e até voltei para Campo Grande para resolver essa confusão", diz.

Sobre denúncias de que os eventos ocorrem todos os fins de semana na Chácara dos Poderes, sem trégua, Maicon garante que "as minhas festas  não são as únicas na região". Mas na sequência novamente muda a conversa e diz que não promove aglomerações e que nunca desrespeitaria as regras contra o coronavírus. "Eu até disse para eles (organizadores da festa) que era para usar máscara e ter álcool em gel. Também tá lá no contrato que não pode cobrar bilheteria", afirma.

Sobre a informação de que o evento do fim de semana foi promovido por um policial militar, o Comando da Polícia Militar enviou nota dizendo que "reitera que não compactua com nenhum tipo de desvio de conduta por parte dos seus integrantes. Após a averiguação do caso, se comprovada a irregularidade conforme narrada, as medidas cabíveis serão adotadas pela Corregedoria Geral da PM e os envolvidos responsabilizados administrativamente".