ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, QUARTA  19    CAMPO GRANDE 24º

Capital

Queda de caça da FAB na região do Indubrasil matou oficial da Marinha

Por Nadyenka Castro | 07/07/2012 11:15

Capitão-tenente fazia Curso de Líder de Esquadrilha da Aviação de Caça desde o ano passado em Campo Grande

Super Tucano afundou dois metros. Helicóptero da FAB fez sobrevoo no local. (Foto: Simão Nogueira)
Super Tucano afundou dois metros. Helicóptero da FAB fez sobrevoo no local. (Foto: Simão Nogueira)

O oficial da Marinha do Brasil, capitão-tenente Bruno de Oliveira Rodrigues, de 32 anos, é a vítima do acidente com aeronave da FAB (Força Aérea Brasileira), ocorrido pouco antes das 8 horas deste sábado, no Indubrasil, em Campo Grande.

Conforme nota oficial divulgada pela Aeronáutica, Bruno de Oliveira Rodrigues estava desde o início do ano passado em Campo Grande, onde fazia Curso de Líder de Esquadrilha da Aviação de Caça no Terceiro Esquadrão do Terceiro Grupo de Aviação da FAB, o Esquadrão Flecha.

De acordo com a nota da Comunicação Social da Aeronáutica, o piloto, e único ocupante do Super Tucano A-29B, conseguiu se ejetar, porém faleceu no local.

A Aeronáutica já iniciou as investigações para apurar os fatores que contribuíram para o acidente e está prestando todo apoio aos familiares.

O acidente - Testemunhas disseram à imprensa que viram o caça perder altura ao fazer manobra que lembra uma curva. O Super Tucano afundou dois metros e o corpo do piloto foi parar a 150 metros da aeronave.

A decolagem do caça foi na Base Aérea – distante cerca de cinco quilômetros do local da queda – e o destino da aeronave era a Serra do Caximbo, no Sul do Pará. As informações são do major Luciano Silvieri, comandante do Esquadrão de Comando.

De acordo com o oficial da FAB, o Super Tucano saiu da Base Aérea de Campo Grande junto com outra aeronave, em voo que leva o nome de elemento. O caça que caiu era o líder.

Ambos aparelhos seguiam para o campo de prova Brigadeiro Veloso, em Caximbo, para treinamento de uso de armamento.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário