ACOMPANHE-NOS    
MAIO, QUINTA  26    CAMPO GRANDE 30º

Capital

Réu na Omertà, Rei da Fronteira vai ficar mais seis meses preso em casa

Fahd Jamil tem 80 anos e apresenta doenças que comprometem sua saúde

Por Aline dos Santos | 28/01/2022 08:57
Fotografia de Fahd Jamil na década de 1980. Ele pagou fiança de quase R$ 1 milhão. (Foto: Reprodução)
Fotografia de Fahd Jamil na década de 1980. Ele pagou fiança de quase R$ 1 milhão. (Foto: Reprodução)

Réu na Operação Omertà, Fahd Jamil, conhecido como o Rei da Fronteira, vai cumprir mais seis meses de prisão domiciliar. A decisão é do juiz da 1ª Vara Criminal de Campo Grande, Roberto Ferreira Filho.

Preso desde 19 de abril do ano passado, quando se entregou após passar quase um ano foragido, Fahd tem 80 anos e apresenta comorbidades que comprometem sua saúde. Perícia realizada no último dia 7 recomendou que ele não fique em ambiente prisional.

O octogenário tinha sinais de emagrecimento, perda de memória de fatos recentes e dispneia (falta de ar). Fahd Jamil tem doença pulmonar obstrutiva crônica, que requer uso de oxigênio.

No processo, o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) se manifestou pelo prosseguimento a prisão domiciliar diante do quadro de saúde. “Impende frisar, por fim, que, apesar do precário estado de saúde de Fahd Jamil, ainda remanescem os motivos que deram ensejo à decretação da sua prisão preventiva”.

A defesa informa que busca outros direitos para o preso. “A decisão é boa e apoiada na lei, mas vamos insistir por outros direitos ao cliente”, afirma o advogado André Borges.

Fahd Jamil é réu por tráfico de arma de fogo, corrupção e homicídio. Para ter direito a prisão domiciliar, o Rei da Fronteira pagou fiança de R$ 990 mil.

Nos siga no Google Notícias