A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

04/06/2014 20:45

Ricardo Ayache deixa presidência da Cassems para disputar o Senado

Alan Diógenes e Zana Zaidan
Ademir Cerri disse que pretender manter saúde financeira da Cassems. (Foto: Marcelo VictorAdemir Cerri disse que pretender manter saúde financeira da Cassems. (Foto: Marcelo Victor
Várias autoridades políticas participaram da posse. (Foto: Marcelo Victor).Várias autoridades políticas participaram da posse. (Foto: Marcelo Victor).

Tomou posse como novo presidente da Cassems, nesta quarta-feira (4), Ademir Cerri, que era vice-presidente da entidade. Ele vai assumir o cargo, por que o então presidente Ricardo Ayache vai se desincompatibilizar do órgão para se dedicar à pré-campanha de senador na chapa majoritária conduzida pelo pré-candidato ao governo do Estado, Delcídio do Amaral (PT).

Ademir Cerri foi conselheiro da Cassems por nove anos e era o primeiro vice de Ricardo nesse triênio. Ele é professor de História na rede estadual de ensino por 38 anos e era morador de Sete Quedas, cidade que terá que deixar com a posse da presidência. Ademir vai se mudar para Campo Grande com a família e se dedicar a administração da Cassems.

O novo presidente é afiliado político do deputado estadual Lauro Davi (Pros), que também já foi presidente da Cassems. Ele foi convidado pelo parlamentar para compor a diretoria da operadora de planos de saúde. Além disso, também é filiado ao PT por 23 anos.

Ademir afirmou que o foco de sua gestão será dar continuidade no trabalho iniciado por Ricardo Ayache, principalmente no hospital de Campo Grande. “Vamos dialogar com todos os servidores, todas as entidades sindicais e manter a Cassems na posição do melhor plano de saúde de Mato grosso do Sul. O maior desafio será manter o equilíbrio do plano, por que ao mesmo que os servidores ficaram mais exigentes com o serviço, a ANS (Agência Nacional de Saúde) instituiu um novo rol de procedimentos”, destacou.

O novo presidente também informou que uma das principais propostas é manter a saúde financeira da instituição. “Acredito que a estrutura financeira da Cassems já estará estabilizada até 2018. Todos os encaminhamentos e acordos já foram estabelecimentos e penso que serão mantidos até lá”, disse Ademir se referindo ao reajuste escalonado do plano que chegará a 11,25% até 2018, conforme estabelecido pelo governador André Puccinelli (PMDB).

A posse contou com várias autoridades, principalmente do PT, partido de Cerri. Estiveram presentes os deputados estaduais Pedro Kemp (PT), Lauro Favi (Pros), Paulo Corrêa (PR), o presidente municipal do PT Gildo de Oliveira, o suplente de senador Pedro Chaves, o presidente da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) Roberto Botareli, além de servidores da Cassems.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions