A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

09/01/2012 16:13

Roubos constantes deixam donos de camionetes em alerta

Paula Vitorino

Proprietários mudam rotina para evitar ser alvo de bandidos. Delegado ensina cuidados para os motoristas

Motorista diz que toma algumas prevenções para evitar ser alvo fácil de bandidos. (Foto: Simão Nogueira)Motorista diz que toma algumas prevenções para evitar ser alvo fácil de bandidos. (Foto: Simão Nogueira)

A preferência dos ladrões pelo roubo de camionetes em Campo Grande está deixando os proprietários desse tipo de veículo em alerta, com medo de que sejam a próxima vítima.

“A gente tem medo, tem que estar constantemente em alerta. Já pensei até em mudar de carro, mas preciso viajar muito pra fazenda e o tipo de estrada exige uma camionete”, diz o pecuarista Sérgio Lima, de 59 anos.

Por ser uma cidade com grande parte da economia voltada para a pecuária e agricultura, a maioria dos proprietários dizem não ter muita saída, já que dependem do veículo para trabalhar, mas passaram a adotar algumas medidas de prevenção.

Sérgio afirma que não sai de camionete à noite ou para festas. “Deixo o carro em casa e vamos em outro veículo ou de táxi. Mas sair de camionete à noite é muito arriscado”, conta.

Neste fim de semana, duas famílias foram mantidas reféns por 7 horas para que os ladrões tivessem tempo de levar as camionetes roubadas até o Paraguai. Três seqüestradores da quadrilha foram presos quando tentavam repassar as duas S-10 na fronteira.

No dia 31 de dezembro, um rapaz foi vítima de seqüestro relâmpago e teve a Hillux roubada. Em junho, a Polícia prendeu uma quadrilha acusada por roubar , pelo menos, 20 camionetes e caminhões na Capital.

O comerciante Régis Peralta, de 31 anos, diz que “medo a gente sempre tem, principalmente por causa da família”, mas ele frisa que “não pode se deixar dominar por isso, senão nem saio mais de casa”.

Ele conta que conhece várias pessoas que já tiveram a camionete roubada e até alguns que foram ao Paraguai para tentar recuperar o veículo. “A gente fica refém dos bandidos. A pessoa acaba pagando duas vezes pelo seu carro”, diz.

O delegado Geraldo Marin Barbosa, da Defurv (Delegacia Especializada de Furtos e Roubos de Veículos), explica que o objetivo dos ladrões é roubar as camionetes para vender na fronteira, principalmente no Paraguai.

Por conta disso, o roubo de camionetes geralmente é seguido de seqüestro. “Os bandidos deixam as vítimas presas para ter tempo de conseguir repassar o veículo na fronteira”, diz.

Esse tipo de veículo é alvo dos bandidos pelo alto valor de comércio na fronteira e também por ser preferido dos compradores, já que a maioria das camionetes já é roubada com comprador.

Cuidados - O delegado ressalta que não existe um modelo preferido dos ladrões, basta ser camionete. No entanto, os modelos que utilizam diesel como combustível são mais visados.

Para evitar ser um alvo fácil para os bandidos, o delegado ressalta que é preciso estar em alerta e “não ficar de bobeira na rua”.

“Deixar o carro estacionado na rua, em frente de casa, ou ficar parado ao lado da camionete, como também dentro dela, depois de festas ou em locais escuros e com pouco movimento, é arriscado”, frisa.

Ele lembra que uma das famílias vítimas do seqüestro neste fim de semana estava em frente de casa tomando chimarrão, com o portão aberto e a camionete estacionada do lado de fora.

O pecuarista Alexandre de Serqueira, de 52 anos, diz que sempre toma cuidado ao entrar na garagem, olhando para ver se não tem alguma pessoa suspeita, e também procura não deixar o veículo estacionado na rua.

“Chego e já coloco a camionete na garagem. A gente não pode dar bobeira, tem que tomar alguns cuidados, porque mudar de carro não tem como”, diz.

E para evitar o prejuízo financeiro, o pecuarista Sérgio frisa que sempre mantém o carro com o seguro em dia.

Brinquedos feitos por detentos são doados para crianças em escola
Parceria feita entre a a Semed (Secretaria Municipal de Educação) e a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) garantiu ne...
Falta de pagamento faz prefeitura suspender hemogramas na rede pública
A falta de pagamento para um fornecedor de insumos fez com que a prefeitura de Campo Grande suspendesse a partir desta quarta-feira (13) a realização...


Esse é o preço de se morar no MS. Aqui quem manda são os bandidos. Cadê a policia Militar? a Civil com suas investigações? não deveriam ser feitas de forma preventiva? Eu estou muito triste a vários anos por ver imperar o banditismo em nosso pais.
 
Carlos Roberto de Souza em 10/01/2012 11:40:30
Se tem seguro, não precisa de rastreamente. Deixa levar!
O maior problema é a violencia, risco ao proprietario e à familia.
 
Roma Luitz em 09/01/2012 06:13:08
Rastreamento de veículos, onde está você? A opção ajuda até a baixar o preço do seguro. Pq não fazer?
 
Daniel Francelino da Silva em 09/01/2012 05:49:36
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions