A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

20/04/2012 11:31

"Se não ficar comigo, não fica com mais ninguém", disse ex ao matar mulher

Nyelder Rodrigues
Amigos foram ao velório e ofereceram apoio à família da vítima (Foto: Pedro Peralta)Amigos foram ao velório e ofereceram apoio à família da vítima (Foto: Pedro Peralta)

“Se não for ficar comigo, não fica com mais ninguém”. Essa foi, segundo a família, a frase que Samuel Santos da Silva, de 34 anos, disse ao esfaquear, cinco vezes, a ex-mulher, Laura Paez, de 32 anos, que morreu ontem no bairro Nova Lima, em Campo Grande.

O relato foi dos filhos do casal, que assistiram ao homicídio. No velório, o cenário era tristeza nesta manhã. Amigos da família consolavam e ofereciam ajuda para a família, todos ao lado do caixão, na sala da residência da irmã, no bairro Lageado. O enterro será realizado às 14h, no Memorial Park.

A mãe da vítima estava hospitalizada após passar por uma cirurgia e saiu da internação direto para o velório.

Caso-Samuel e Laura foram casados por 19 anos e estavam separados há um mês. O crime foi cometido diante dos filhos de três, seis, 10 e 13 anos. O casal ainda tem um filho de 17 anos, que não estava no local.

A filha de 13 anos ainda tentou proteger a mãe cortando o pai com um pedaço vidro. Ela fugiu do local em seguida para buscar ajuda. As outras crianças permaneceram na casa, próximas do corpo de mães.

Conforme a irmã de Laura, Rose Paez, a vítima estava no banheiro lavando o rosto quando Samuel chegou ao local batendo muito na porta. Ela foi atender e quando percebeu que seria agredida, tentou se escondeu no banheiro.

Porém, Laura não conseguiu se esconder antes de Samuel desferir o primeiro golpe. Ela ainda perguntou por que ele estava fazendo aquilo. Samuel estava querendo reatar o relacionamento com Laura, segundo a família da vítima.

Desabafo- Para Rose, a real intenção dele era não pagar a pensão alimentícia dos cinco filhos. “Ela havia pedido a separação e ele viu que ia ficar pesado o valor da pensão. Por isso ele queria voltar”, conta.

“Ainda bem que ele foi preso logo, antes que alguém ou meu sobrinho fizesse algo. Não quero ver sobrinho meu preso”, desabafou Rose.

A irmã e alguns amigos da família contaram que há poucos meses o irmão de Samuel havia matado um deficiente, e por vingança, foi alvejado e morto com 19 disparos, no bairro Lageado.

“Eles sempre apresentaram um comportamento agressivo”, comenta uma das amigas da família presentes no velório.



Dá nada não! Lembra do Texas! Brasil tá virando terra sem lei. Quer dizer: lei tem... dos quem pode mais, chora menos!
 
Edmilson de Oliveira em 20/04/2012 12:19:12
SÓ FALTA O JUIZ DEIXAR ESSE TAMBÉM RESPONDER EM LIBERDADE ,POR "ENTENDER QUE ELE NÃO É UMA PESSOA QUE APRESENTA PERIGO PARA A SOCIEDADE"

MAIS UMA MULHER...QUE PERDEU O DIREITO DE VIVER E PRINCIPALMENTE CRIAR SEUS FILHOS...

NÃO SOLTA ELE NÃO!!! CADEIA NELE!!!
 
SOLANGE GOMES em 20/04/2012 07:49:27
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions