A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

28/09/2013 09:22

Sem funcionário, centro para atender turista é tomado pelo mato e lixo

Elverson Cardozo
Arquitetura chama a atenção, mas local está largado. Até a placa de identificação foi retirada. (Foto: João Garrigó)Arquitetura chama a atenção, mas local está largado. Até a placa de identificação foi retirada. (Foto: João Garrigó)
Dentro do quiosque, há móveis, mas local não está funcionando. (Foto: João Garrigó)Dentro do quiosque, há móveis, mas local não está funcionando. (Foto: João Garrigó)

Inaugurado pelo ex-prefeito Nelson Trad Filho (PMDB), em 11 de setembro de 2007, o Centro de Atendimento ao Turista José Maria Tortarelli (Juca), localizado às margens da BR-262, na entrada do Jardim Noroeste, na saída para Três Lagoas, em Campo Grande, está abandonado.

O local, construído para ser ponto de informação aos visitantes que chegam à Capital, está “jogado às traças”, sujo e tomado pelo mato. O quiosque está sem atendentes, segundo relatos, há pelo menos 1 ano.

Gerente de uma transportadora localizada na esquina, Murilo Guilherme Araujo, de 22 anos, contou que “há muito tempo atrás uma pessoa ficou poucos dias trabalhando”.

Depois disso, ninguém mais apareceu, afirmou. Atualmente, só a polícia dá as caras por lá. Um ou dois guardas fazem a segurança do espaço durante a noite.

“É bom porque eles cuidam de todas as empresas aqui da região”, comentou, ao dizer que, para ele, o atendimento fornecido pelo Centro não faria diferença. Mas o abandono, ressaltou, é injustificável.

Prova de que o local merece uma atenção maior do poder público é a procura dos visitantes. Por mês, Murilo, que trabalha ao lado, diz atender, em média, 8 turistas. Sem alternativa, eles vão à transportadora em busca de informação.

Em e-mail ao Campo Grande News, o turista Willian Mendes, que reside em Bauru, no interior de São Paulo, comentou a situação:

“Em uma passagem por Campo Grande, me deparei com algumas placas na entrada desta bela cidade, avisando que logo a frente havia um posto de atendimento ao turista, mas ao chegar no local, situado na saída para Três Lagoas, me deparei com uma bela arquitetura, porém notei que estava abandonado, sem qualquer atendimento ou prestação de serviço. Fico muito triste”.

Vizinho do Centro, o proprietário de uma borracharia, Maurício Sérgio Modesto, 42 anos, nunca fez o papel de atendente, como ocorreu com Murilo, o rapaz da transportadora, mas confirma que o local foi deixado de lado. “Não tenho visto ninguém trabalhando aí”, disse.

Moradora, Rosana Lemes, confirma que o espaço está abandonado. (Foto: João Garrigó)Moradora, Rosana Lemes, confirma que o espaço está abandonado. (Foto: João Garrigó)

Ele também reclama do abandono e diz que a Prefeitura “jogou dinheiro fora”. “Com certeza gastaram uma fortuna e agora fica aí, largado”, considerou.

Moradora de uma casa que fica no fundo do Centro de Atendimento, Rosana Lemes dos Santos, 29 anos, também confirma que, apesar de estar fechado, “sempre tem guarda, principalmente à noite”.

A segurança é uma vantagem, mas o lixo e o mato alto põem em risco a saúde dos moradores. Rosana tem 7 filhos, mas não deixa nenhum sair para rua porque tem medo, primeiro, dos acidentes na rodovia e, depois, teme que a área esconda algum bicho perigoso. “Pode ter cobra, escorpião, algo do tipo”, supôs.

Desativado - A assessoria de imprensa informou que, de acordo com a secretária da Sedesc (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Turismo e do Agronegócio), Dharleng Campos, o CAT da BR-262 foi desativado em 2011. O fechamento foi motivado pela baixa frequência de turistas no local, tornando o espaço, segundo o órgão, “oneroso devido ao não aproveitamento”.

Um projeto, da Sedesc em parceria com a Fundect (Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul), prevê o funcionamento, no local, de um Centro de Referência do Turismo Rural.

Para isso, informou a Prefeitura, está sendo aguardada a posse da nova diretoria do Comtur (Conselho Municipal de Turismo). A posse ocorreu nesta semana. A partir daí será feito um levantamento para definir a melhor forma de utilização do espaço.

Quando à limpeza da área, que está tomada pelo mato, a assessoria informou que a programação já está na agenda da Seintrha (Secretaria de Infraestrutura, Transporte e Habitação), mas não divulgou data.

Brinquedos feitos por detentos são doados para crianças em escola
Parceria feita entre a a Semed (Secretaria Municipal de Educação) e a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) garantiu ne...
Falta de pagamento faz prefeitura suspender hemogramas na rede pública
A falta de pagamento para um fornecedor de insumos fez com que a prefeitura de Campo Grande suspendesse a partir desta quarta-feira (13) a realização...


Sr: Eralfo Afonso o local foi desativado em 2011.
 
Eliane Carneiro em 28/09/2013 17:57:24
Isso ai deixa acabar, destruir tudo, o dinheiro não saiu do bolso de vocês.
 
Marcos Wild em 28/09/2013 16:52:39
Quanta gente necessitando de um teto. E a prefeitura com alguns ai desativados e abandonados. Vamos invadir tudo!!!!
 
Klebber Silva em 28/09/2013 16:29:15
Isso que dar fazer as coisas sem necessidade ou planejamento. Deveria ter sinalizado as ruas e avenidas de CG e assim ajudaria quem chega de fora
 
luiz alves em 28/09/2013 15:36:20
Eralfo Afonso, você leu que o local está desativado desde 2011? O Bernal era o prefeito em 2011?
 
Murilo Delmondes em 28/09/2013 14:22:08
Vergonha para Campo Grande é pouco, na última quinta-feira dia 26/09 a Secretaria do SEDESC Srª. Dharleng Campos de Oliveira durante o evento do II EMPRETUR proferiu vergonhosamente uma palestra onde por três vezes denominou erroneamente os profissionais formados em turismo de "turistas" e não de "Turismólogos", ao tempo não é de se admirar pois ela esta totalmente mal assessorada onde tem como diretor de turismo uma economista e uma bando de colaboradores sem qualificação alguma para atuar junto ao setor da Capital. É admirável e me faz refletir será que não existe em Campo Grande profissionais aptos com formação e experiência na gestão pública do turismo para chefiar o Departamento de Turismo da Capital, uma vez que a Secretaria não tem está especifica experiência?
 
Acadêmico de Turismo em 28/09/2013 13:53:09
Só porque o local tinha baixa procura foi desativado. E os turistas procuram informação aonde na Transportadora? Porque ate então não foi divulgado que o Centro de Atendimento ao Turista foi transferido para outro lugar. Agora querem colocar Centro de Referência do Turismo Rural se o espaço é grande e não esta servindo para nada o porque não concentrar diversos Centros de referências no mesmo ambiente e parar de gastar dinheiro com obras milionárias para cada atendimento ao púbico que o poder publico julga necessário. Onde muitos não funcionam como o caso acima ou quando funcionam são de péssima qualidade.
 
Tayná Dias em 28/09/2013 12:17:37
Pelo que estou sabendo,nem guardas municipais tem trabalhando neste local,foram tirados todos que tinham lá,agora aquilo ali vai virar boca de fumo e lugar para abrigar a bandidagem a noite,pelo menos com os GUARDAS havia um pouco de segurança. É preciso valorizar o os profissionais que ali estavam. Meu dinheiro não é capim e não nasce em arvore.
 
Pedro Bueno em 28/09/2013 11:30:22
voces quiseram mudanças na prefeitura tai o que voces queiram, tudo abandonado, volta no bernal daqui a 4 anos denovo.
 
eralfo afonso em 28/09/2013 10:07:19
Eu já fui nesse lugar e é um prédio bonito, o que precisa é ter um atendimento ao turista que chega de carro, porque como tenho restaurante na região, muita gente pára para perguntar como chegar ao centro da capital, qual hotel indicar e muitas outras perguntas que se estivesse ativado este local, teria sim procura, basta ter uma entrada decente e chamativa para os turistas saberem que ali tem informações sobre a cidade.
 
Marec Silva em 28/09/2013 10:00:48
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions