A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

02/09/2014 16:11

Sem-terra não acatam ordem e vão esperar Justiça derrubar barracos

Filipe Prado
Os sem-terra terão que sair da rodovia (Foto: Marcos Ermínio)Os sem-terra terão que sair da rodovia (Foto: Marcos Ermínio)

Mesmo com a ordem judicial, que determinou a retirada dos sem-terra, as 600 pessoas da MAF (Movimento de Agricultura Familiar), que montaram acampamento margens da BR-163, na saída para São Paulo, não sairão do local até a chegada da empresa CCR MS Via, que detém o domínio da rodovia.

De acordo com um dos coordenadores do movimento, Rodionei Merlin, 40 anos, eles irão esperar a empresa derrubar os barracos. “Eles disseram que irão trazer patrolas para derrubar. Eu quero ver eles derrubando. É legal vê-los trabalhando”, ironizou.

A ordem, expedida pelo juiz Marcelo Andrade Campos Silva, da 16ª Vara Cível, teve o pedido ingressado pela ALL (América Latina Logística) no dia 29 de setembro. Uma oficial de Justiça compareceu ao assentamento, por volta das 10h, junto com a Polícia Militar, para fazer a segurança.

Os sem-terras moravam na Gameleira, mas se mudaram para a rodovia, pressionando o Governo para agilizar a desapropriação de terras para assentá-los. Eles também alegavam que tinha muita lama no acampamento anterior, onde chegaram até a receber luz elétrica e água.

O movimento ficou famoso pela quantidade de carros encontrados no acampamento. O MAF possui cerca de cinco mil pessoas em Mato Grosso do Sul. Em Campo Grande são quase 1,5 mil adepto, com duas páginas no Facebook.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions