ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, DOMINGO  14    CAMPO GRANDE 19º

Capital

Sesau inicia instalação de pontos eletrônicos para servidores das UPAs

UPAs Leblon, Vila Almeida e Santa Mônica foram as primeiras a receberem equipamentos para controlar frequência de funcionários públicos

Humberto Marques | 16/04/2018 17:46
Equipamentos começaram a ser instalados em UPAs nesta segunda-feira. (Foto: PMCG/Divulgação)
Equipamentos começaram a ser instalados em UPAs nesta segunda-feira. (Foto: PMCG/Divulgação)

A Prefeitura de Campo Grande começou, nesta segunda-feira (16), a instalar o sistema biométrico para registro eletrônico de ponto para servidores que atuam nas UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) e CRSs (Centros Regionais de Saúde). O ponto eletrônico deve começar a ser usado integralmente nessas unidades em até 60 dias –os primeiros equipamentos foram instalados nas UPAs Leblon, Santa Mônica e Vila Almeida– e atendem a cobranças, inclusive judiciais, do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) quando ao melhor controle de frequência de servidores da saúde.

A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) informou que, além das unidades 24 horas, o sistema será instalado na sede da pasta e, até o próximo mês, vai começar a funcionar no Lacem (Laboratório Central), CEM (Centro de Especialidades Médicas), almoxarifado e Vigilância Sanitária, entre outros setores.

Até o fim de abril, o sistema deve estar instalado nas dez unidades da Rede de Urgência e Emergência –cada uma atende a até 400 pacientes por dia. Serão 25 equipamentos a serem instalados, ao custo de R$ 145 mil. A prefeitura também dará início ao cadastramento digital dos servidores, visando a preparação dos equipamentos e alimentação do sistema com dados do funcionalismo.

A Sesau conta com cerca de 6,8 mil servidores. Deste total, 30% vão registrar o ponto por meio de equipamentos eletrônicos nesta primeira fase –a meta é que todos os funcionários da pasta sejam incluídos na medida, que à uma antiga reivindicação de órgãos de fiscalização.

Controle – O MPMS foi à Justiça exigir mais rigor no controle de frequência dos servidores da Sesau, por meio do sistema biométrico para registro de presença. O controle por meio de folha de ponto foi considerado ineficiente como forma de controlar a carga horária de trabalho dos profissionais –com destaque para os médicos e enfermeiros, cujo quadro já é considerado insuficiente para atender a toda a demanda.

O secretário municipal de Saúde, Marcelo Vilela, diz esperar que a medida “traga mais segurança e transparência aos serviços, de modo a melhorar o atendimento à população, que é o nosso maior objetivo”. “O sistema deve permitir ao setor de gestão de pessoas o benefício de possuir ferramentas que agilizem os processos da folha de pagamento, controle de horas trabalhadas, horas extras, entre outros”, prosseguiu.

Nos siga no Google Notícias