A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

04/02/2011 10:01

Suspensão de lei é vitória da liberdade de expressão, diz sindicato de agências

Marta Ferreira
ArquivoArquivo

O presidente do Sinapro (Sindicado das Agências de Propaganda de Campo Grande), Henrique Medeiros, avaliou nesta manhã que foi da “liberdade de expressão” a principal vitória com a derrubada pela Justiça da lei aprovada pela Câmara de Campo Grande que vetava peças publicitárias com conteúdos considerados pornográficos.

Ele aponta, ainda, que há um outro motivo para comemorar a suspensão da lei por liminar. “Serve também para tirar da cidade uma pecha ruim, de intolerância”.

A lei, aprovada pela Câmara de Vereadores no ano passado, chegou a ser usada para tirar das ruas pelo menos duas campanhas, em outdoors, que tinham fotos consideradas pornográficas.

Henrique Medeiros afirma que a maior preocupação do setor não é principalmente com o que foi retirado de veiculação, mas com o risco que a lei representa para o que estava sendo produzido.

Censura?-Segundo, ele, com a lei em vigor, os profissionais da área trabalhavam sempre sobre a sobra da incerteza, até pelo conteúdo pouco claro da legislação, um dos motivos acatados pelo Tribunal de Justiça para conceder a liminar que suspendeu a eficácia da medida legal.

Conforme o presidente do Sinapro, o conteúdo da lei atingiu notadamente campanhas de grifes nacionais e internacionais que enviam as peças já prontas para Campo Grande. “São campanhas de moda que, cada vez mais, estão mais ousadas, pois o padrão internacional tem estabelecido isso”.

Agora que a lei está suspensa, Henrique Medeiros não acredita que possa haver uma “invasão” de conteúdos que poderiam ferir a lei. Segundo ele, o próprio mercado se regula para não produzir peças que possam chocar a sociedade. “Além disso, existe o Conar (Conselho de Autorregulamentação Publicitária), justamente para isso”.

Promotor questiona liminar que derrubou lei anti-pornografia
Sérgio Harfouche acredita que decisão final manterá a leiO promotor da Infância e Juventude, Sérgio Harfouche, questiona a liminar concedida pelo Tr...
Câmara não tem competência para criar lei Anti-Pornografia, diz TJ
Para conceder a liminar que derrubou a lei Anti-Pornografia em Campo Grande, o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul considerou, principalmente, ...


Se um outdoor com alguem de roupa intima é considarado pornografia, o que é aquilo que é exibido nas novelas e naqueles programas sem utilidade tipo big brother e fazenda?
Ora cada coisa, quanta baboseira!!!
 
Jefferson Fernandes em 04/02/2011 12:26:47
Por isso que a democracia é importante! O presidente do Sinapro (Sindicado das Agências de Propaganda de Campo Grande), Henrique Medeiros, exerceu a plenitude da cidadania! Ofereceu ao Tribunal de Justiça os argumentos indiscutíveis sobre a matéria; o papel do Conar (Conselho de Autorregulamentação Publicitária), mostrou que o conteúdo da lei (...) atingiu notadamente campanhas de grifes nacionais e internacionais que enviam as peças já prontas para Campo Grande (...) Por traz de tudo isso estão os emprego! Porfissionais que trabalham! Plotagens, fixadores, marcenarias, fotografos, agencias, modelos, uma infinidade "serviços" em cadeia nessa área! Volto a firmar: parcela dos vereadores da nossa capital raciocinam e elaboram leis com conceitos medievais e se alinham sob orinetações de suas confições religiosas. Estamos construindo dia a dia a democracia e o estado é laico! Henrique Medeiro, parabéns pela luta e pela vitória! Lembre-se voce não está sozinho nessa! Muitos profissionais vão tomar um "bom vinho" nessa comemoração, inclusive eu que sou aposentado!
 
Janio Batista de Macedo em 04/02/2011 11:20:01
Existem outras formas de se divulgar "produtos e serviços", não precisamos de outdor e cartazes com homens e mulheres semi-nus, nós merecemos isso! Apoiamos todas as medidas que venham a combater tais abusos!
 
JULIANO MACEDO em 04/02/2011 11:03:37
Se uma propaganda de roupa intima é considerado pornografia, por que a tv globo nao é proibida de exibir o programa Big Brother, e suas participantes semi-nuas com roupas intimas????
 
Pâmela Benites em 04/02/2011 10:50:00
sera que nossos politicos nao pensam como que as industrias de lingerie anunciarão seus produtos? ja que mulher nao pode aparecer em anuncio com calcinha, então por que colocar uma égua com calcinha pra fazer propaganda?
 
clovis araujo em 04/02/2011 07:33:04
Peraí gente. Chega de hipocrisia. Será que não há coisa mais importante para legislar ? Que puritanismo retrógrado.
 
sebastiao dos reis em 04/02/2011 02:35:44
Junto a essa discussão podemos lembrar da lei cidade limpa que estão querendo implantar em Campo Grande sem lembrar do que aconteceu em SP, quando inúmeros postos de trabalho foram eliminados com tal proibição, como disse nosso amigo Janio, nossos parlamentares precisam ter cuidado com certas leis que podem prejudicar o mercado de trabalho.
 
Oswaldo Junior em 04/02/2011 01:28:40
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions