A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 22 de Agosto de 2019

25/07/2019 10:50

Suspeito de aplicar golpe de R$ 500 mil na Caixa é diretor de associação

O objetivo da investigação não é só responsabilizar as pessoas que praticaram a fraude, mas tentar recuperar o dinheiro

Viviane Oliveira e Mirian Machado
Documentos apreendidos durante operação da Polícia Federal (Foto: reprodução/vídeo) Documentos apreendidos durante operação da Polícia Federal (Foto: reprodução/vídeo)

Alvos da operação Obliteração da Polícia Federal, os dois suspeitos de sacar mais de R$ 500 mil na agência da Caixa Esconômica Federal do Shopping Campo Grande com cheque sem fundo são amigos e um deles diretor de uma associação. O nome dos investigados não foi informado.

Nesta manhã, equipes cumpriram três mandados de busca e apreensão em três imóveis ligados aos investigados, sendo duas residências e um comércio na Vila Sobrinho, no Jardim Veraneio e no Centro. Nos locais, foram apreendidos documentos bancários e xérox de cartões de bancos. A polícia quer saber se essas contas têm relação com a fraude realizada em julho do ano passado pelos suspeitos. Por enquanto, não foram identificados nos documentos apreendidos petrechos de falsificação.

Conforme o delegado Glauber Fonseca de Carvalho Araújo, já foi solicitado à Justiça sequestro de valores, mas ainda não se sabe o quanto foi bloqueado nas contas dos suspeitos. "Eles têm que explicar para onde foi esse dinheiro. Onde está esse boleto que foi pago com o dinheiro. Um deles já foi ouvido e não soube dizer. Já solicitei a oitiva do outro suspeito”, explicou.

Delegado Glauber durante entrevista nesta manhã na Superintendência da Polícia Federal (Foto: Mirian Machado) Delegado Glauber durante entrevista nesta manhã na Superintendência da Polícia Federal (Foto: Mirian Machado)

O objetivo da investigação, conforme a PF, não é só responsabilizar as pessoas que praticaram a fraude, mas tentar recuperar o dinheiro e diminuir o prejuízo da Caixa. Os dois suspeitos não têm passagem por crimes.

Caso - Segundo a PF, as investigações começaram em setembro do ano passado, quando a Caixa Econômica Federal informou a ocorrência de uma fraude que gerou prejuízo para a instituição de mais de R$ 500 mil.

Durante a apuração foi constatado que os estelionatários descontaram um cheque no valor total de mais de R$ 1,3 milhão para a Caixa, que acabou disponibilizando parte do valor. Quando a instituição financeira descobriu que o cheque era falsificado, boa parte dos recursos financeiros já havia sido movimentada. assista, abaixo, ao vídeo. O nome da operação faz referência à atuação da Polícia Federal para impedir esse tipo de crime praticado por estelionatários. 

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions