A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 19 de Setembro de 2018

19/02/2018 11:30

Suspeito de matar pitbull Minnie é multado em R$ 3 mil pela polícia

Minnie teve choque neurológico e hipovolêmico, depois de ter tido o crânio rachado e cortes pelo corpo com profundidade de 15 cm

Danielle Valentim e Miriam Machado
Adriano, ex-dono de Minnie, abraçando a cadela em casa antes de vendê-la. (Foto: Direto das Ruas)Adriano, ex-dono de Minnie, abraçando a cadela em casa antes de vendê-la. (Foto: Direto das Ruas)

O suspeito de matar uma pitbull, de um ano, a golpes de barra de ferro e facão, identificado como José Fernandes da Silva, 47 anos, foi multado pela PMA (Polícia Militar Ambiental) em R$ 3 mil. O crime aconteceu na frente do ex-dono do animal, na tarde deste domingo (18), no Jardim TV Morena, em Campo Grande.

Ao Campo Grande News, o ex-dono de Minnie, Adriano Nogueira Bastos, de 26 anos, disse que a pegou bem filhote e que o animal cresceu na sua companhia e de seu pai.
O jovem conta que José sempre ia até sua casa e pedia para comprar a cadela. “Apesar de nunca ter atacado ninguém, Minnie causava medo no meu pai e ele sempre incentiva a venda”, conta.

Segundo o jovem, antes da venda, José chegou a visitar a cadela, por uma semana seguida, para acostumar com o animal. Minnie já morava com o novo dono há dois meses e Adriano afirma que havia orientado José a deixar a cadela, pelo menos por enquanto, separada dos demais cachorros para evitar brigas, fato que não foi acatado.

Neste domingo, uma amiga de Adriano o visitou e pediu para ver a cadela. Ninguém esperava que o pior estava por vir. “Ontem chegou uma amiga e pediu para ver a cadela, quando chegamos lá vi que ela estava toda suja. Eu não sabia se ela estava sendo maltratada, porque aqui ela só comia pedigree”, disse.

Durante a visita, Adriano conta que uma das cadelas de José latiu em sua direção. Para defender o antigo dono, Minnie avançou contra o outro animal e iniciou-se uma briga. Escutando os gritos, José partiu para cima dos animais com uma barra de ferro e passou a agredir ambos.

Não satisfeito, o suspeito teria pego um facão e raspado no portão. Incomodada e assustada com o forte barulho, a cadela teria avançado contra José, momento que foi esfaqueada.

Antes de chamar a polícia, Adriano relata que teria sido ameaçado por José. “Ele disse que pegaria uma arma”, disse o jovem, que chegou a socorreu a cadela até uma clínica.

Conforme a ficha de óbito elaborada pela clínica, Minnie teve choque neurológico e hipovolêmico, depois de ter tido o crânio rachado com os golpes de barra de ferro e cortes profundos pelo corpo, com medidas de até 15 cm, cada.

Crime ocorreu ao lado da casa - Segundo Adriano, ex-dono da cadela, José mora em uma casa grande, mas os animais ficam ao lado da residência, em uma espécie de depósito, onde o autor vende redes. Por isso, o crime não teria sido praticado em frente as crianças.

A cadela que latiu para Adriano, antes da briga entre os cães iniciar, teve uma das patas quebradas e não está conseguindo andar.

(Foto: Marcos Ermínio)(Foto: Marcos Ermínio)

A esposa de José não viu o crime, mas nega que o esposo tenha uma arma ou passagem por homicídio. “Tenho certeza que foi para se defender, porque meu marido não é assim ele não é agressivo. A cadela não era agressiva, nunca tinha demonstrado violência e sempre brincava com as crianças. Nós recolhemos animais de rua, inclusive abrigamos animais de vizinhos quando fogem”, diz Elisangela Elias, de 42 anos, que estava com os filhos na casa ao lado.

A PMA efetuou um auto de infração administrativo e aplicou multa de R$ 3 mil contra o infrator. A esposa foi notificada da autuação, pois o autuado ainda não foi localizado. O homem também responderá por crime ambiental de maus-tratos a animais. A pena é de três meses a um ano de detenção.

Minnie teve choque neurológico e hipovolêmico, depois de ter tido o crânio rachado com os golpes de barra de ferro e cortes profundos pelo corpo, com medidas de até 15 cm, cada. (Foto: Direto das Ruas)Minnie teve choque neurológico e hipovolêmico, depois de ter tido o crânio rachado com os golpes de barra de ferro e cortes profundos pelo corpo, com medidas de até 15 cm, cada. (Foto: Direto das Ruas)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions