A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 24 de Setembro de 2017

15/08/2017 15:24

Temporal que deixou estragos na Capital teve mais vento que água

Luana Rodrigues, Amanda Bogo e Adriano Fernandes
Dia virou noite, na Capital. (Foto: Marcos Ermínio)Dia virou noite, na Capital. (Foto: Marcos Ermínio)
Muro do cemitério Santo Amaro, que despencou após a chuva. (Foto: Adriano Fernandes)Muro do cemitério Santo Amaro, que despencou após a chuva. (Foto: Adriano Fernandes)
Clínica de fisioterapia foi destelhada na Rua Eduardo Santos Pereira, bairro Monte Castelo. (Foto: Marcos Ermínio)Clínica de fisioterapia foi destelhada na Rua Eduardo Santos Pereira, bairro Monte Castelo. (Foto: Marcos Ermínio)
Granizo no   Coophavilla 2 – sudeste de Campo Grande.Coophavilla 2 – sudeste de Campo Grande.Granizo no Coophavilla 2 – sudeste de Campo Grande.Coophavilla 2 – sudeste de Campo Grande.

Em cerca de 30 minutos, choveu uma média de dois milímetros por metro cúbico nesta terça-feira (15), em Campo Grande, conforme o Cemtec/ MS (Centro de Monitoramento de Tempo, do Clima e dos Recursos Hídricos de Mato Grosso do Sul). A chuva, que parecia torrencial, atingiu apenas algumas regiões da cidade. Mas, por onde passou levou ventos de até 64 km/h e até granizo. O temporal destelhou casas, derrubou árvores, alagou ruas e avenidas, e causou estragos.

De acordo com a Defesa Civil, a região do bairro Aero Rancho foi a mais atingida pelas chuvas, com 11,25 milímetros. No Parati, choveu cerca de 9,5 milímetros. Já no Cabreúva 5,5 milímetros. Na região do Anhanduizinho e Imbirussu não houve chuva, conforme os levantamentos.

No Jardim Santo Amaro, aproximadamente de 50 metros do muro que cerca o cemitério desabaram, na lateral que fica na Rua Fernando de Noronha.

Do outro lado da cidade, no condomínio Parque das Nações Indígenas, que fica na Rua Antônio Maria Coelho, o vento foi tão forte, que destelhou duas residências antes mesmo da chuva começar, como mostra o vídeo ao final da reportagem.

A síndica Sandra Maria Karnopp Plentez, 63 anos, contou que foi um susto, mas ninguém ficou ferido.

Numa clínica de fisioterapia na Rua Eduardo Santos Pereira, bairro Monte Castelo, as telhas também foram carregadas pelo vento.

A ventania veio acompanhada de céu encoberto e trovões na Capital, principalmente, na região Central. A Defesa Civil informou que está com equipes nas ruas para resolver os problemas referentes a queda de árvores, mas não soube informar o número exato de ocorrências.

Apesar da mudança no tempo, a temperatura deve se manter estável, com máxima de 25°C em Campo Grande e mínima de 19°C. A previsão de chuva continua amanhã em grande parte do Estado, principalmente na região sul.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions