A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 19 de Setembro de 2019

11/09/2019 10:14

Tio arrasta sobrinho pelo pescoço, bate e tenta estuprar o menino de 12 anos

O menino foi obrigado a assistir filme pornográfico e agredido com ripa de madeira nas costas e nos braços

Viviane Oliveira e Clayton Neves
Caso será investigado pela Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Foto: arquivo / Campo Grande News) Caso será investigado pela Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Foto: arquivo / Campo Grande News)

Auxiliar de serviços gerais de 40 anos foi preso por ameaçar e tentar violentar o sobrinho de 12 anos, além de esfaquear a mãe do adolescente. O caso aconteceu por volta das 8h da manhã de ontem (10), próximo à casa da vítima, no Jardim Anápolis, em Campo Grande.

Conforme o auto de prisão em flagrante, o adolescente seguia para a casa de uma colega, quando o tio o arrastou pelo pescoço para dentro da residência dele. Lá, o autor mostrou um filme pornográfico e tentou violenta-lo. Durante ameaças, o tio dizia que se o menino não ficasse com ele iria estuprar a mãe a irmã da vítima e caso fosse preso quando saísse iria matá-lo estrangulado.

O menino quis fugir, mas foi agredido com uma ripa de madeira nas costas e nos braços. O autor só parou com as agressões depois que foi surpreendido pela mãe do garoto - uma doméstica de 38 anos. Ela disse que fazia o serviço de casa e foi avisada pela sobrinha de que o autor havia puxado seu filho para dentro do imóvel dele.

Ao chegar ao local, a mulher foi esfaqueada na mão pelo homem com uma faca de serra. O autor, então, passou a ameaçar tanto a vítima quanto a mulher. Antes disso, segundo depoimento do garoto à polícia, o autor dizia que vendia droga e gritava o número de 1533 - em alusão ao número que indica as iniciais do PCC (Primeiro Comando da Capital).

A Polícia Miliar foi acionada pelos moradores e levou os envolvidos à delegacia. Algemado, o autor passou a bater com a cabeça na parede. Já na cela da Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente) muito sujo, exaltado e se debatendo rasgou suas roupas e se recusou a assinar o auto de prisão em flagrante.

A mãe da criança pediu medida protetiva contra o autor. Ela disse à polícia que tem muito medo dele, pois o autor já agrediu o próprio pai, é usuário de drogas, muito perigoso e tem várias passagens pela polícia.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions