A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

05/12/2014 18:49

TJMS vai julgar 17 casos de violência contra a mulher nos próximos meses

Alan Diógenes
Acusado de matar amante a tiros é condenado há 15 anos de prisão. (Foto: Arquivo)Acusado de matar amante a tiros é condenado há 15 anos de prisão. (Foto: Arquivo)
Segurança que manteve mulher e filhos em cárcere privado é preso pela polícia. (Foto: Alcides Neto)Segurança que manteve mulher e filhos em cárcere privado é preso pela polícia. (Foto: Alcides Neto)

Com o julgamento do empresário José Alberto dos Santos Rosa, que foi condenado a 15 anos de prisão por ter matado a vendedora Rosana Camargo de Assis, 29 anos, no dia 8 de outubro de 2011, o TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) conseguiu resolver mais um caso de violência contra a mulher no Estado. Agora faltam 17 casos semelhantes para serem julgados pela 1ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande nos próximos meses.

José matou a vendedora às 16 horas daquele dia, na rua Dom Aquino, em frente à antiga Estação Rodoviária. Ela dirigia um veículo Corolla, de cor prata, quando foi baleada pelo empresário que estava no banco de trás. Rosana perdeu o controle docarro e bateu no muro de um pelotão da Polícia Militar.

Durante a investigação, a polícia descobriu por meio de depoimento de José que Rosana era sua amante. Ele relatou ainda aos policiais, que era produtor rural e ex-proprietário de duas empresas de ônibus na Capital.

Outro caso – O segurança Rafael Ribeiro Amorim, 24 anos, acusado de manter a esposa, a filha de dois meses e o enteado de dois anos em cárcere privado, no Jardim Monumento, também foi preso ontem (4). A vítima relatou que o segurança ficava de três a quatro dias sem tomar banho e a obrigava a praticar sexo oral nele afim de humilha-lá.

Após sofrer as agressões durante 1 ano e meio, Cristiane Simone de Oliveira Caio, 25 anos, decidiu pedir ajuda. Ela foi encaminhada à casa dos pais, com os filhos, na cidade de Tacuru, a 332 quilômetros da Capital. O inquérito civil vai ser concluído em 10 dias.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions