A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

27/01/2013 16:40

Um mês após ladrões levarem carro, dona recebe multa por velocidade

Viviane Oliveira
Luciana estava viajando, quando a casa foi roubada pela segunda vez, em pouco mais de um mês. (Foto: reprodução/Facebook)Luciana estava viajando, quando a casa foi roubada pela segunda vez, em pouco mais de um mês. (Foto: reprodução/Facebook)

“Estou com medo de voltar para a minha casa”. O desabafo é da advogada Luciana Abes, de 40 anos, que além de ter a casa roubada em plena luz do dia por duas vezes em pouco mais de um mês, recebeu uma multa por excesso de velocidade dos bandidos, que levaram o carro dela, um Sandero de cor preta.

Luciana conta que mora no bairro Itanhangá, e foi vítima dos ladrões por duas vezes. Na primeira, eles arrombaram o portão, a porta e levaram um computador e uma máquina fotográfica. Detalhe é que a casa dela tem sistema de monitoramento, no entanto por duas vezes o alarme disparou e a equipe de monitoramento chegou muito tempo depois.

Na segunda vez, no dia 4 de janeiro, os bandidos entraram pelo portão pequeno, arrombaram novamente a porta, que havia acabado de arrumar, e levaram joias, equipamentos eletrônicos, documentos, comeram os alimentos que estavam na geladeira e fugiram com o veículo.

Depois de 2 horas, Luciana que estava passando as férias na Bahia foi informada sobre o furto. “Quando a minha mãe me ligou a viagem acabou na mesma hora”, disse.

Um dia após o crime o boletim de ocorrência foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro. “A Polícia já sabia do furto do veículo, quando os bandidos passaram, dois dias após o roubo, em alta velocidade na avenida Dr. Gunter Hans, saída para Sidrolândia e foram flagrados pelo radar”, lamenta.

A lombada registrou e aplicou a multa, porém o carro, ainda não foi recuperado. “Me sinto totalmente sem segurança. Estou sem coragem de voltar para a casa. A segurança particular é falha e a Polícia é inoperante”, lamenta.

Ainda conforme Luciana, quando estava em viagem a casa não ficava sozinha. A mãe ia pelo menos duas vezes dar comida para o cachorro dela e à noite um segurança particular ficava encarregado de cuidar as casas da região.

“O prejuízo chega a quase R$ 100 mil, o carro o seguro vai cobrir. Mesmo que foram levados joias, que eram lembranças de família, o pior de tudo é a sensação de insegurança que fica”, finaliza.



Também sou advogada e meu pai era policial civil, mas não em MS. Os comentários da vítima a respeito da polícia, no entanto, não me ofenderam. A Polícia brasileira não consegue combater sua demanda, ora! Quem, em sã consciência, pode tentar negar isso? As questões da falta de aparato, de insuficiência de pessoal, inexistência de equipamentos (munição, veículos, etc.) adequados são os principais motivos, é certo, mas contra fatos não há argumentos. Nesse quadro, não é racional criticar a vítima! É como dizer, de uma vítima de estupro, que por ser bonita ela naturalmente provocou o crime! Quanto a advogados e acertos de contas, nem todos os processos envolvem crimes. Há ações trabalhistas, tributárias, civeís e, portanto, advogados atuando em todas essas areas. Mentalidade tacanha...
 
Angélica M. S. Santos em 30/01/2013 00:25:27
Sou advogada como a Luciana a quem conheço desde quando frequentava a faculdade. Sei a formação moral que recebeu dos pais e que ela levou para o exercício da profissão; sua mãe, educadora respeitada formou gerações de jovens do nosso Estado. Causou-me, portanto, indignação ver as ofensas gratuitas colocadas aqui por gente (gente???) que sequer a conhece e que ataca a toda uma categoria de profissionais, acusando a vítima e se colocando ao lado dos que invadiram a casa dela, furtaram os seus pertences e que, segundo consta, continuam circulando pela cidade impunemente.
Manifesto, assim, a minha total e irrestrita solidariedade à Leda, sua mãe, e à Luciana, lamentando os que, por sentimentos menores, são incapazes de dar aos fatos a dimensão que eles verdadeiramente têm.
 
Suely Pletz Neder em 28/01/2013 21:44:55
A polícia chegou 2 horas depois do ocorrido. O BO foi lavrado, no mesmo dia, 04.01.2013. A multa é proveniente da infração de trânsito, que ocorreu na madrugada do dia 07.01.2013. De acordo com os policiais, o DETRAN fica ciente do ocorrido automaticamente, em razão do sistema de informática. Assim, eles sabiam que o carro tinha sido furtado./A empresa de monitoramento é a RESTART/REFORCE(e, até a presente data, não me deu qualquer posicionamento sobre o ocorrido)./Não sou a única moradora da região que teve sua residência furtada em circunstâncias semelhantes e a polícia tem conhecimento disso. Pago imposto pra morar, trabalhar, comer, viver, vestir, e, como cediço, a segurança é uma contraprestação obrigatória do Estado. Sendo vítima, não posso, de forma alguma, ser responsabilizada.
 
luciana henriques bunazar abes em 28/01/2013 20:26:54
Sou advogada como a Luciana e a conheço desde que cursava a faculdade. Tenho por ela apreço e admiração. Sei a formação moral que recebeu de seus pais, sendo sua mãe respeitada educadora de MS que formou gerações de jovens do meu Estado. Estou indignada ao ver gente (gente???) que gratuitamente ataca a honra de quem nem sequer conhece e que agride a todos os profissionais da advocacia, transformando a vítima em culpada e se colocando ao lado dos que invadiram e furtaram a residência e os bens da Luciana.
Luciana e Leda, recebam, embora distante daí, a minha total solidariedade. Triste fico ao ver a indigência mental dos que a agrediram.
 
Suely Pletz Neder em 28/01/2013 20:24:16
A polícia chegou 2 horas depois do ocorrido. O BO foi lavrado, no mesmo dia, 04.01.2013. A multa é proveniente da infração de trânsito, que ocorreu na madrugada do dia 07.01.2013. De acordo com os policiais, o DETRAN fica ciente do ocorrido automaticamente, em razão do sistema de informática. Assim, eles sabiam que o carro tinha sido furtado./A empresa de monitoramento é a RESTART/REFORCE(e, até a presente data, não me deu qualquer posicionamento sobre o ocorrido)./Não sou a única moradora da região que teve sua residência furtada em circunstâncias semelhantes e a polícia tem conhecimento disso. Pago imposto pra morar, trabalhar, comer, viver, vestir, e, como cediço, a segurança é uma contraprestação obrigatória do Estado. Sendo vítima, não posso, de forma alguma, ser responsabilizada.
 
Luciana Abes em 28/01/2013 20:05:06
Lamento que o meu estado tenha se transformado nesse cenário de abandono.
O aparelhamento da polícia é importante, mas o cidadão não pode ser punido ou responsabilizado pela falta de reconhecimento da categoria.
A Luciana é advogada e, como bem a conheço, sei da sua integridade moral. É um absurdo que cidadãos comuns como ela justifiquem a falta de segurança e ineficiência da empresa de "segurança" com base na profissão dela, exercida com profunda dedicação e honestidade.
Preciso dizer que se há advogados desonestos é porque há CLIENTES TÃO DESONESTOS QUANTO A CONTRATÁ-LOS, tornando o mercado de trabalho quase inacessível para aqueles que desejam exercer dignamente esse ministério.

Aos que pensam como o sr. Adércio Barbuio, meus pêsames pela morte dos neurônios!
 
Adriana Neder em 28/01/2013 16:41:17
Também já vi excelência e tempo recorde, mas é uma pena que todas às vezes que vi foram casos em que se tratava de irmãos de farda e a policia não é paga apenas por policiais, ou para defender apenas interesses próprios. Que há problemas na justiça é evidente, mas negar que, infelizmente , nossa força policial é uma vergonha não dá!!! Sou morador do extremo sul de campo grande, e o que acontece aqui e nas demais regiões periféricas da nossa cidade é um absurdo. Basta conferir aqui no CGnews mesmo, procurem por Los Angeles vejam as noticias. E quanto a policia estão fazendo o que? Só os vemos por aqui pra abusar do poder... Cade o GETAM, que tinha ótimos policiais empenhados em cumprir o papel para o qual se destinaram e eram ageis e eficiente??? Sumiram com eles. O que é bom nos tiram...
 
Higor Rocha em 28/01/2013 11:16:34
Luciana, se possível nos informe o nome da empresa de monitoramento, a qual presta esse serviço para você, pois devemos saber em quais empresas devemos confiar e dar credibilidade aos seus serviços.
 
Thiago Martins em 28/01/2013 10:32:53
Concordo com o Sr. Marcelo Moraes quando diz que a polícia é excelente. Já vi inúmeras vezes a polícia resolver casos e prender culpados em tempo récorde. Porém, como diz o Sr. Paulo Matos, depois vem o advogado e encontra alguma forma de soltar os meliantes também em tempo récorde. Aliás, qual é mesmo a profissão da vítima? Será que não é algum cliente cobrando desconto compulsoriamente???
 
Adercio Barbuio Junior em 28/01/2013 09:23:40
pois eh concordo a pólicia prende os bandidos e os advogados acham brechas na lei para solta-los
 
paulo matos em 28/01/2013 08:24:24
No período de férias, geralmente aumenta esse tipo de crime, existem algumas regras básicas de segurança que vale a pena a população conhecer. A contratação de empresa privada de segurança é importante sim, pois o investimento na segurança pública ainda esta muito aquém da realidade que vivemos. Neste caso em especifico o que dificulta a ação da Polícia é a demora de se fazer a ocorrência, pois o morador está fora. O criminoso geralmente conhece a rotina da vitima, e o tempo de resposta do monitoramento, Por isso é importante conhecer a empresa contratada e adotar meios de não tornar previsíveis os horários da família, qdo sair de viajem longa, o melhor é suspender a entrega de jornais, não deixar luzes acesas durante o dia, isso aponta pela ausência do morador.
 
Marcos Pires em 27/01/2013 23:14:08
Agradeça a seu governador pela falta de policiamento. E não culpa a policia que esta sem efetivo e estrutura.
 
anderson dutra em 27/01/2013 19:20:31
Gostei dos adjetivos: "a segurança particular é falha e a polícia inoperante". Se no Itanhangá está assim, imagina o que sobra para os outros bairros....é só pela misericórdia de Deus mesmo.
 
otávio Laurindo da Silva Neto em 27/01/2013 19:15:02
Se a mesma registrou o boletim de ocorrência no dia seguinte ao roubo e no dia posterior os mesmo foram flagrados pelo radar de velocidade, o detran tem a foto dos criminosos dentro do veículo e esta foto deveria ser enviada a polícia, mas como o detran emite uma multa no nome do proprietário de um veículo roubado? Isso cabe um processo de dano moral(ja que tem o documento aberto que prova o furto um dia antes da multa) e tentativa de estelionato (ja que mesmo sabendo do fato a multa foi enviada mês após o registro de roubo). Se eu fosse a mesma entraria com estes argumentos e diminuaria o prejuízo. A empresa de monitoramento tambem é reponsavél ja que a mesma tem creio que até 15 minutos para comparecer ao local e neste tempo pegaria os ladrões na casa.
 
Alexandre de Souza em 27/01/2013 18:24:12
Luciana Abes a segurança particular depende de quanto você paga, existe bons profissionais na área, já a Policia é inoperante aos seus furtos, e ao seu ponto de vista, ela trabalha muito e é excelente aqui no estado, o problema são as leis e a nossa justiça, você como advogada deveria saber.
 
Marcelo I. Moraes em 27/01/2013 18:21:28
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions