A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

08/06/2011 18:26

Universitária estuprada quer ser indenizada pela UFMS

Ana Paula Carvalho
O estupro foi no dia 11 de abril deste ano. (Foto: João Garrigó)O estupro foi no dia 11 de abril deste ano. (Foto: João Garrigó)

Até a semana que vem o advogado da universitária que foi estuprada no campus da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul em abril deste ano, Mansour Elias Karmouche, irá à justiça pedir indenização por danos morais e materiais.

Segundo o advogado, a segurança deve ser feita pela Universidade e por isso não tem como discutir de quem é a responsabilidade. Ainda de acordo com ele, o valor da indenização ficará a critério do juiz.

Estupro - No dia 11 de abril deste ano, a estudante do curso de química da UFMS foi violentada em um matagal próximo a ponte que liga o teatro Glauce Rocha ao bloco dos cursos de Química, Economia e Administração. Ela foi abordada na ponte e levada para o matagal.

Robson Vander Lan, 29 anos, confessou ter cometido o estupro contra a estudante. Após o estupro ele mandou a estudante ficar com os olhos fechados, provavelmente para não ser reconhecido. A acadêmica ouviu um barulho de pessoas que estavam perto do local do estupro e, por medo de morrer, correu ainda nua. Robson fugiu pelo lado oposto.

Ele também foi indiciado por outros estupros. Pelo menos oito vítimas procuraram a Delegacia da Mulher.

Polícia Universitária Federal - O estupro da UFMS é um dos argumentos mencionados na Pec (Proposta de Emenda à Constituição) da deputada federal Andreia Zito (PSDB/RJ) que prevê a criação da Polícia Universitária Federal. A proposta foi feita no dia 30 de maios deste ano.

Segundo a deputada, a os policiais ficarão responsáveis pelo patrulhamento ostensivo dos campi das universidades federais, dos institutos federais de educação e demais instituições de ensino.

De acordo com ela, o motivo da apresentação da PEC são as condições atuais em que se encontram os campi das instituições federais de ensino, inseguros para professores, alunos e servidores.



O COMENTARIO DO SRº RAFAEL É TIPICO DE UMA PESSOA ACOMODA COM A SITUAÇÃO DO PAÍS NÃO TEM ESPECTATIVA NENHUMA TUDO QUE VIER É LUCRO... CONCORDO C/ O JEAN LUIZ A FEDERAL GANHA MUITO DINHEIRO NOS VESTIBULARES PQ QUE NÃO PAGAM ALGUEM P/ FAZER A SEGURANÇA DAS PESSOAS AO INVEZ DE PAGAR P/ CUIDAR CAPIVARAS OU COISA PARECIDA!!!!!!!!!
 
ELLEN NOGUEIRA em 10/06/2011 09:06:04
"porém a instituição não cometeu crime algum, não provocou nem dano moral nem material e nem deu causa ao fato"... tão boçal quanto sádico!

A instituição cometeu crime sim, como vem cometendo desde a sua criação. A instituição rouba dinheiro publico e não aplica a verba como deveria. A estrutura da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul é precária, conhecida no jargão popular como "caindo aos pedaços". Falta professores, e o que salva são alguns "voluntários" que dão aula apenas por satisfação ou para colocar no curriculum. Falta SEGURANÇA, Falta ILUMINAÇÃO... ou seja... FALTA TUDO! E se falta, é pela má administração do campus, ou melhor, pela OMISSÃO de administração devida! Cade o dinheiro destinado ao ensino? Ta no bolso de quem? Então a instituição é sim culpada, e ouso dizer, mais culpada que o próprio estuprador, pois aquele rapaz, nem deveria estar ali! Foi a Universidade que cometeu o crime e isso eu afirmo com toda certeza! Cometeu o crime de menosprezar a população!
 
Thiego Pacheco em 09/06/2011 09:55:15
sim, todas as mulheres estrupadas devem ser indenizadas, pois quando se doi no bolso, melhoram, e se a universidade não tivesse cerca ou muros, ai sim o estado seria o responsabilizado, agora inevitável UMA OVA, pois lá tem seguranças para cuidar das capivaras, e das pessoas, imagine se fosse tua filha sr rafael, vc só iria se lamentar?. o terreno lá não é area estadual, é do gov FEDERAL. UNS 100MIL NÃO FAZ FALTA AO GOVERNO, já que milhoes saem em propinas........
 
henrique de oliveira em 09/06/2011 09:39:00
A FEDERAL GANHA MUITO DINHEIRO NOS VESTIBULARES E TEM DINHEIRO PRA INDENIZAR ESSA COITADA!
MAIS SEGURANÇA PRA TODOS POR FAVOR
 
Jean Luiz em 09/06/2011 08:55:31
Não creio que a solução seja mais uma polícia, mas sim penas mais severas.
 
Luis Mendes em 09/06/2011 08:51:00
"Segundo o advogado, a segurança deve ser feita pela Universidade e por isso não tem como discutir de quem é a responsabilidade".
A segurança no MS é dever da SSP, pela mesma lógica todas as mulheres que sofreram violência sexual dentro do MS deveriam pedir indenização ao governo?
Precisamos nos preocupar em evitar que isso se repita, esse deve ser o foco.
A justiça deve ser feita com o criminoso, porém a instituição não cometeu crime algum, não procou nem dano moral nem material e nem deu causa ao fato.
Foi um fato lamentável, isolado e aparentemente inevitável, notem que o criminoso já praticava tais atos, isto é, ele não se valeu de uma oportunidade oferecida pelo local onde acorreram os fatos.
 
rafael domingues de santana em 09/06/2011 07:41:47
Sem noção o comentário do Rafael. Dentro das instituições a responsabilidade de segurança é das instituições.
 
jose antonio em 09/06/2011 03:28:01
Criar outra policia é prácabar............... Só deputado carioca com miolo mole mesmo.
Agora que a moça aqui deve pedir DEVE.
E noi míiiiiiiiiiiinimo uns 10 MILHÕES de REAIS. Pagos in cash. Sem a tinta cor-de-rosa ou vermelha que tá por aí.
Deve responsabilizar a UFMS E SUA DIREÇÃO. Todinhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
 
Orlando Lero em 08/06/2011 09:52:32
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions