A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

14/04/2011 10:41

Outra jovem aparece e já chega a 8 o número de vítimas de estuprador

Viviane Oliveira

No total sete vítimas já identificaram Robson e um caso foi relatado por ele mesmo

Sete vítimas já identificaram o estuprador, preso ontem.(Foto:João Garrigó)Sete vítimas já identificaram o estuprador, preso ontem.(Foto:João Garrigó)

O ex-presidiário, Robson Vander Lan, 29 anos, autor confesso do estupro de uma estudante ocorrido na última segunda-feira (11) no campus da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) foi reconhecido por mais quatro vítimas de ontem para hoje e ainda há um caso relatado por ele, mas que ainda não teve a vítima localizada.

Nesta quinta-feira, uma jovem do bairro Guanandi procurou a Polícia e identificou o acusado.

Também existe o caso de uma adolescente de 14 anos que diz ter sido vítima . Segundo a menina, ele apareceu na casa dela, no bairro Joquei Clube, pedindo um copo com água, entrou e tentou o estupro. As irmãs dela chegaram no mesmo momento e chamaram os vizinhos. Robson conseguiu fugir.

Depois do crime e da prisão do estuprador, a adolescente reconheceu Robson pela televisão. A Polícia acredita que, nesse caso, a primeira intenção de Robson era assaltar a residência.

Todos os sete casos já confirmados são de violência ocorridos em Campo Grande, em um deles houve apenas furto.

O estuprador também contou ter atacado uma mulher na região da Santa Casa e é investigado por furto.

De acordo com a Delegada da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) Chistiane Grossi, depois de imagens e fotos divulgadas pela imprensa as vítimas do estuprador começaram a aparecer. Todas as vítimas já o identificaram.

Ainda conforme a delegada, inicialmente Robson negou os crimes, mas em seguida acabou assumindo a autoria. “São tantos que ele esquece depois começa a se lembrar”, disse.

Ele será indiciado também por estupro contra mulheres violentadas no Bairro Nova Lima, no Aero Rancho e Avenida Euler de Azevedo.

Os casos já eram investigados pela Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), segundo a delegada responsável pelo caso, Cristiane Grossi.

Tanto Robson, quando as vítimas passaram por exames médicos para detectar doenças de transmissão sexual.

No caso do estuprador, os testes de Hepatite e Aids deram negativo. A Polícia não deve divulgar o resultado dos exames das vítimas.



Cadeia é pouco pra esse safadoo
 
erika silva em 14/04/2011 12:15:33
TEM NAS LOJAS VETERINARIAS UMA BORRACHA ELASTICA PRARA CAPAR CORDEIROS NÃO TEM CUSTO, TA FACIL NÃO TA DEPOIS PODE SOLTAR ELE
 
sergio turra em 14/04/2011 11:23:06
O duro é daqui uns 3 anos esse vagabundo estar solto de novo.
 
Michel Oliskovicz em 14/04/2011 11:17:18
Interessante que tais casos só foram solucionados após um estupro ter sido ocorrido com uma jovem de um círculo social diferendiado, entendam portanto a importância da cobertura realizada por parte da imprensa e percebam o tratamento policial distinto que é aplicado a cada caso concreto.
 
Olavo Duncan Couto em 14/04/2011 03:19:07
Gostaria de saber qual a utilidade para a sociedade de um cara como esse vivo????
 
Luciana Gonçalves em 14/04/2011 02:52:00
Concordo com o Sergio Turra. Se precisar compro no meu cartão de crédito, essa borracha elástica.
 
Paulinho Barbosa em 14/04/2011 02:51:36
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions