A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

17/10/2013 16:12

Violência faz projeto de lei tornar obrigatório psicólogos nas escolas

Zana Zaidan

Um projeto de lei quer tornar obrigatória a presença de psicólogos em unidades de educação básica da Reme (Rede Municipal de Ensino) de Campo Grande. A necessidade vem em meio ao fraco desempenho escolar dos alunos, com inúmeros casos de repetência e evasão escolar, apontado durante audiência pública na tarde de hoje (17) na Camâra de Vereadores para discutir a implantação do projeto.

A vereadora Carla Stephanini (PMDB), autora do projeto, defende que o suporte psicológico pode minimizar o problema. Um dos motivos apontados para o fraco desempenho é a indisciplina dos alunos, que tem como resultado casos freqüentes de desacato a professores, bullying ou brigas e ameaças entre os estudantes. Só de janeiro a 3 de outubro deste ano, por exemplo, 215 casos de violência em colégios foram registrados na DEAIJ (Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude) e até a morte de uma estudante de 15 anos, em setembro, foi um dos episódios registrados. 

 

Vereadora quer que presença de psicólogos nas escolas vire lei em Campo Grande (Foto: Marcos Ermínio)Vereadora quer que presença de psicólogos nas escolas vire lei em Campo Grande (Foto: Marcos Ermínio)

Para o Conselho Regional de Psicologia de Mato Grosso do Sul, os mil psicólogos que têm licença para atuar em Campo Grande não só dariam conta de atender as 96 escolas municipais, como militam para que o projeto seja aprovado. “O psicólogo tem um olhar diferenciado para o aluno, família, professor e a escola como um todo. Temos condições de trabalhar com questões emocionais e desenvolver, junto com os professores, técnicas educativas que aproximem à realidade do aluno a da sociedade o que, a longo prazo, pode melhorar a educação”, acredita a vice-presidente do Conselho, Beatriz Xavier Flandoli.

O major da Polícia Militar, Juracy Pereira da Paz, afirma que, hoje, as ocorrências de violência em escolas é generalizada, e são atendidas tanto nas periferias, como nas escolas do centro da cidade, além das particulares. "É uma questão grave e que não vai se resolver do dia para a noite. Mas a questão da responsabilidade e consciência dos alunos precisa ser trabalhada, e com a orientação psicológica, isso pode melhorar a curto prazo". 

 

PM reforça que os profissionais podem contribuir para diminuir os índices de violência nas escolas (Foto: Marcos Ermínio)PM reforça que os profissionais podem contribuir para diminuir os índices de violência nas escolas (Foto: Marcos Ermínio)

Outra justificativa do projeto é a nova realidade das crianças e adolescentes, que crescem com internet, celulares e computadores. Diante de tanta tecnologia, a lousa pode parecer pouco atrativa. “A união psicólogo-professor permite desenvolver novos métodos para estimular o aluno a estudar”, explica a psicóloga Marilda Gonçalves Dias Facci, que é presidente da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional e veio de Maringá (PR) para reforçar os benefícios da integração da psicologia nas escolas.

Obstáculos - Quanto às dificuldades que o projeto poderia enfrentar para que o Executivo sancione a lei, a vereadora aponta a folha de pagamento dos funcionários, já inflada no orçamento pelo outros funcionários da educação municipal. “Ainda assim, não considero um problema. É um investimento na educação”, comenta.

O presidente do sindicato que representa os professores de Campo Grande, Geraldo Gonçalves, também é a favor do projeto, e acredita que a contratação dos psicólogos não vai pesar no orçamento do município. “Vai contribuir com educação de qualidade. Cabe a administração municipal definir como poderia ser implantado, mas é importante assegurar os psicólogos nas escolas”, defende.



Acredito seja uma excelente Idea incorporar psicólogos ao quadro de professores. Os alunos tem que saber o que esta acontecendo com eles nessa faze de desenvolvimento desde o ponto de vista psicológico. A psicologia pode vir a dar algumas ferramentas paro o adolescente conseguir lidar com ele mesmo e na sua relação interpessoal. O individualismo exacerbado não tem dado bons frutos nessa faze de desenvolvimento.
 
Ricardo Tempone De Lorenzo em 18/10/2013 01:00:13
É tão fácil resolver o problema financeiro do município. Vamos diminuir o salário dos vereadores, e fazer com que todos os funcionários trabalhem pelo seu tempo real de cargo efetivo. Dessa forma os cofres públicos terão verba para arcar com os psicólogos nas escolas.
 
renata silva em 17/10/2013 19:47:01
Muito interessante para toda a sociedade que profissionais da área pudessem trabalhar junto aos alunos oferecendo apoio psicológico. Atualmente se faz necessário essa participação pois o aumento da violência e tantos outros problemas vem causando sérios transtornos a inúmeros jovens e seus familiares!
 
Maria Helena em 17/10/2013 19:06:48
Eu apóio o PL desde que seja responsabilidade da Prefeitura, através de parcerias entre as Secretarias da Saúde com da Educação e, ainda, com a Secretaria da Assistência Social, no caso de ser uma equipe multidisciplinar de profissionais.
Pois a Educação recebe verba do FUNDEB específica para as despesas com os Profissionais de Educação prevista em seu quadro de pessoal.
E, por que não, um centro de atendimento psicossocial e/ou psicopedagógico à familia e ao educando?
 
Adriana Banar da Silva Pleutin em 17/10/2013 17:31:23
Isto é muito bom!
No Brasil tem que morrer para tomar atitudes como esta!!!...
Mas será de grande valia este profissional dentro das escolas...
 
Carlos Netto em 17/10/2013 17:17:49
Com certeza um projeto desse só vem a contribuir com a educação uma vez que a escola passou a ser o segundo lar de muitos jovens, que na dependência de uma orientação busca nas suas tribos amenizar a ausência de alguém que os ouça, sendo a adolescência a fase mais perturbadora para os jovens e o psicologo na escola teria esse olhar para a escuta do mesmo que necessitam expor seus temores, medos e fantasias.Pois muitos jovens estão sendo roubados de si mesmo, como diria o Padre Fabio de Melo " QUEM ME ROUBOU DE MIM".
 
VANUZA OLIVEIRA MARTINS em 17/10/2013 16:36:48
tinha que ser obrigatório os pais tomarem conta dos filhos e educa-los
 
Alex andré de souza em 17/10/2013 16:19:08
Audiência na Câmara debate hoje presença de psicólogos em escolas municipais
Vereadores e especialistas debatem hoje em audiência pública, a partir das 14h, a necessidade da presença de psicólogos em unidades de educação básic...
Menina ferida em briga por perfume em escola morre na Santa Casa
A estudante Luana Vieira Gregório, de 15 anos, morreu na Santa Casa de Campo Grande depois de levar uma facada no abdômen na saída do colégio. O crim...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions