ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SÁBADO  26    CAMPO GRANDE 32º

Capital

Vítima da covid-19, Nairton ficou 12 dias no CTI, mas saiu do hospital andando

No total, foram 26 dias de internação; paciente recebeu alta ontem, ao meio dia

Por Viviane Oliveira | 07/08/2020 12:35
Nairton comemora a vitória: "depois de 26 dias, estou em casa, forte e comendo de tudo" (Foto: Marcos Maluf)
Nairton comemora a vitória: "depois de 26 dias, estou em casa, forte e comendo de tudo" (Foto: Marcos Maluf)

Depois de dar entrada desacordado no hospital e passar 12 dias no CTI (Centro de Terapia Intensiva) tratando a covid-19, Nairton recebeu alta ontem e saiu andando da unidade de saúde, cena que emocionou a família. No total, foram 26 dias de internação: 3 dias no Hospital da Cassems e 23 dias no Hospital Regional.

Nesta manhã, o mecânico Nairton Joaquim da Silva, 56 anos, recebeu a equipe do Campo Grande News em sua casa. Diz que está forte e comendo de tudo. Ele não sabe como pegou a doença, mas conta que no começo do mês passado viajou a trabalho para uma fazenda em Aquidauana. Lá, durante as duas noites nas quais passou na cidade sentiu muito frio. “Cheguei a ter calafrio”.

No dia seguinte, começou a ter indisposição, dor no corpo e na cabeça. Tomou dipirona e o mal-estar passou, mas os sintomas voltaram. No começo pensou que era sinusite, chegou a fazer exames na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) no Bairro Universitário e ser medicado com injeção na veia.

Depois de alguns dias, Nairton foi piorando e os sintomas começaram a se agravar. “Ele começou a tossir, sentir falta de ar, dor no couro cabeludo e nos olhos”, contou a esposa Neide Neves dos Santos, 53 anos. Preocupada com o marido, Neide resolveu levá-lo para o Hospital da Cassems. "Ele já chegou desacordado e foi direto para o CTI".

Emocionado, Nairton relembra quando conseguiu dar os primeiros passos (Foto: Marcos Maluf) 
Emocionado, Nairton relembra quando conseguiu dar os primeiros passos (Foto: Marcos Maluf)

Neide, então, perguntou para a médica se era covid e qual era a situação do esposo. “A equipe disse que pelos sintomas tinha quase certeza que sim e o quadro dele era gravíssimo. Fiquei doida”, contou a mulher.

Na mesma noite, Nairton teve uma parada cardíaca e na sequência foi intubado. Ao receber a notícia, Neide achou que ia perder o marido. A confirmação da doença veio nos próximos dias. Sem plano de saúde, o paciente teve de ser transferido para o Hospital Regional. “Não vi nada. Não sabia de nada. Fiquei 12 dias desacordado".

Quando acordou, conta Nairton, passou por três fases difíceis, em uma delas, sofria com alucinações e não sentia os movimentos dos braços e das penas. “Também passei por um período que me recolhi. Não falava, não bebia nada, não comia”, diz.

Depois que melhorou, na enfermaria, começaram os exercícios de fisioterapia. “Em uma das sessões, a fisioterapeuta perguntou se eu conseguia dar um passo. Fiquei em pé e consegui ir caminhando até o banheiro. Foi emocionante. Todos se emocionaram”, contou Nailton com os olhos lacrimejando.

Depois de alguns dias, o paciente recebeu alta e antes de sair fez questão de sair andando pelos corredores para agradecer todos, do faxineiro ao médico. “Que equipe maravilhosa”, contou.

A saída dele foi filmada pela esposa que ao ir buscar o marido, achou que ia encontrá-lo numa cadeiras de rodas. Nairton comemora a vitória e lembra do companheiro de quarto, que está internado há 2 meses tratando a doença e até agora não conseguiu andar. Neide e a família que tiveram contato com Nairton testaram negativo para doença.

Assista, abaixo, ao vídeo do momento em que o paciente deixa a unidade:


Regras de comentário