ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, TERÇA  16    CAMPO GRANDE 23º

Capital

"Vivia sobre duas rodas": amigos lamentam morte de empresário louco por motos

Antônio Caetano de Carvalho foi assassinado a tiros dentro da superintendência do Procon em Campo Grande

Jhefferson Gamarra | 13/02/2023 13:36
Caetano em um dos passeios com o grupo de motociclistas (Foto: arquivo pessoal)
Caetano em um dos passeios com o grupo de motociclistas (Foto: arquivo pessoal)

Inconformados com a tragédia, amigos lamentaram e usaram as redes sociais para prestar homenagens ao empresário Antônio Caetano de Carvalho, 67 anos, assassinado a tiros na manhã desta segunda-feira (13), durante uma audiência de conciliação na superintendência do Procon, em Campo Grande.

Bastante conhecido na cidade, o empresário atuava há mais de 40 anos no setor automotivo, proprietário da Aliança Só Hilux, especializada em peças para camionetes Hilux e SW4.

Além de empresário de sucesso, prestando serviço em todas as 79 cidades de Mato Grosso do Sul, Caetano também exercia o cargo de membro do Conselho Deliberativo da ACICG (Associação Comercial e Industrial de Campo Grande) na gestão do triênio 2020-2023.

“A Associação Comercial e Industrial de Campo Grande lamenta profundamente o falecimento do empresário e diretor da entidade. A ACICG manifesta suas condolências aos familiares e amigos neste momento de pesar”, comunicou a entidade.

Apoiador e locutor de eventos de motociclismo, sempre apaixonado por motocicletas, o empresário ainda era membro do STJDM (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) da CBM (Confederação Brasileira de Motociclismo).

“Você matar alguém por uma desavença por conta de seiscentos reais é realmente uma coisa muito triste. Ele era uma pessoa fantástica, querido, carinhoso, atencioso, um ótimo pai de família e marido. O que eu posso ser que ele era um excelente amigo. Além de tudo isso, motociclista, um apaixonado por moto, por viagem, apaixonado por competição e que fazia parte da diretoria da confederação. Infelizmente perdi um grande amigo, por um motivo banal”, lamentou o presidente da confederação brasileira de motociclismo, Firmo Henrique Alves.

Sobrinho da vítima e funcionário da empresa, Jhonny Pinheiro destaca o perfil do empresário: “Era uma pessoa excepcional e corretíssima. Conhecia muito bem o meu patrão, empresário há mais de 40 anos, trabalhou com grandes redes de concessionária e tinha orgulho em falar que nunca tinha ido para o Procon”, detalhou o funcionário.

Nas redes sociais, amigos lamentaram a morte do empresário e prestaram solidariedade aos familiares. “Como explicar que uma pessoa com feitos maravilhosos para Campo Grande, uma história de vida empreendedora, com atuação em diversos segmentos sociais e comerciais, pode ser covardemente assassinada dentro de uma instituição pública, como o Procon? Estou falando do Antônio Caetano de Carvalho, simplesmente Caetano, pessoa que tive o privilégio de conhecer há 45 anos. Que Deus o receba na luz amigo. Meus sentimentos de pesar a esposa e todos os demais familiares”, postou o amigo e jornalista Ademar Cardoso.

“Mais um crime bárbaro em nossa cidade e desta vez leva nosso amigo Caetano, um cara que ajudou o motociclismo de MS a ir para o cenário nacional, por muito tempo cuidou das corridas de motocross no MS, sempre viajando em 2 rodas por este Brasil, que Deus conforte amigos e familiares”, publicou Luiz Carlos Cigano, também amigo.

Caso - O subtenente aposentado da PM (Polícia Militar) José Roberto de Souza foi o autor dos tiros que mataram o empresário Antônio Caetano de Carvalho, 67 anos, na manhã de hoje, durante audiência de conciliação do Procon, e ainda está sendo procurado. A discussão por conta de garantia de motor, no valor de R$ 630, acabou com três tiros na cabeça da vítima.

A reportagem apurou que a audiência de conciliação deveria ter acontecido na sexta-feira e foi adiada para hoje. Logo após assassinar o empresário a sangue frio, o militar foi flagrado caminhando tranquilamente pela Rua Maracaju, esquina com a 13 de Junho, a poucos metros do local do crime. O militar aposentado segue foragido.

Nos siga no Google Notícias