A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

19/02/2016 13:36

Vizinhas tentam recuperar bens após terem casas invadidas pela água

Natalia Yahn
Madalena e Maria ao lado dos móveis, roupas e outros itens, que precisaram ficar ao sol hoje (19) para secar. (Foto: Marcos Ermínio)Madalena e Maria ao lado dos móveis, roupas e outros itens, que precisaram ficar ao sol hoje (19) para secar. (Foto: Marcos Ermínio)

Duas vizinhas com o mesmo nome, Maria, dividem o mesmo drama de terem suas casas invadidas pela água da chuva, que caiu ontem (18), em Campo Grande.

Maria Aparecida da Silva, 57 anos e Maria Paula Ferreira, 72 anos, moram na Rua Marquês de Herval, no Bairro Nova Lima. As casas ficam próximas a Escola Municipal Professor Hércules Maymone, no local conhecido como “Corredor do Nova Lima”.

Na manhã desta sexta-feira (19), as duas trabalhavam para limpar as residências e recuperar o que resistiu à inundação.

“Sofá, cama, guarda roupa, estante, armário de cozinha, colchão, mesa, cadeiras, além da geladeira, roupas, calçados, tudo molhou. Eu ainda nem terminei de pagar a maioria das coisas e já perdi”, afirmou Maria Aparecida.

Ela afirma que há dois anos, durante uma chuva, um dos quartos que fica no fundo do quintal, chegou a ser invadido pela água, mas nada que se compare a situação vivida desta vez. “Eu nunca vivi uma situação destas. Eu fiquei tão desesperada que na hora falei que ia vender a casa e sair daqui”.

Ontem (18) logo após a chuva os vizinhos apareceram para ajudar Maria Aparecida. (Foto: Allan Nantes)Ontem (18) logo após a chuva os vizinhos apareceram para ajudar Maria Aparecida. (Foto: Allan Nantes)

As duas Marias que dividem o muro e os problemas causados pela inundação receberam a ajuda valiosa de outros vizinhos. “Chegou gente de tudo quanto é lugar pra ajudar. Tiramos a água com balde”, afirma Maria Aparecida.

A cunhada dela, Madalena José, 45 anos, afirma que além de todo o problema por conta da inundação ainda se preocupava com o marido, Odair da Silva, 56 anos, que fez uma cirurgia cardíaca há duas semanas. “Estamos hospedados aqui na casa por causa do meu esposo. Ele não podia nem ajudar e acabou até segurando uma geladeira. Agora está com dor, vamos ter que levar ele no hospital”, disse.

Maria Paula também trabalhava para limpar tudo hoje de manhã (19) na casa, que de acordo com ela já foi inundada outras três vezes. “Esta foi a pior, um desespero. Tinha água por todo lado”, afirmou.

Para tentar ajudar no escoamento da água ela quebrou o muro lateral e também a parede de um dos quartos.“A gente vai ter que limpar e se virar né, é o jeito”, afirmou Maria Paula.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions