A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

24/04/2016 18:43

Vizinhos de mulher morta pelo ex-marido fazem protesto no Aero Rancho

Nyelder Rodrigues
Adultos e crianças foram para o local, sob os olhares da PM (Foto: Direto das Ruas)Adultos e crianças foram para o local, sob os olhares da PM (Foto: Direto das Ruas)

Vários moradores da favela Cidade dos Anjos fecharam o cruzamento das avenidas Presidente Tancredo Neves e Arquiteto Vila Nova Artigas, no bairro Aero Rancho, em protesto pedindo justiça e proteção à família de Juliana da Silva Fernandes, de 25 anos, que morreu esfaqueada pelo ex-marido em frente ao filho. Após acordo com a PM (Polícia Militar), o protesto foi encerrado.

O crime aconteceu na madrugada de sexta-feira (22), no barraco onde morava a vítima com mais três filhos - um menino de sete anos que teria visto toda o crime, uma menina de quatro e outro menino de dois anos - na rua Prímula, Jardim das Hortênsias. Juliana foi levada para o Hospital Regional, passou por duas cirurgias, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

O autor do assassinato, Michael Leite de Carvalho, fugiu do local após o esfaquear Juliana quatro vezes. Ele teria ligado para a vítima a ameaçando de morte, e após o crime, seguiu ameaçando familiares, inclusive os filhos. "Ele mora na Vila Nogueira. Queremos justiça, que ele seja preso e que a irmã da Juliana seja protegida", diz a vizinha da vítima, Raquel Leite do Nascimento, 41 anos.

Raquel morava ao lado de Juliana e foi uma das primeira pessoas que a socorreu. "Ele segue ameaçando as crianças, dizendo que vai matá-las também. Por isso, queremos que elas sejam retiradas urgentemente dali com a tia deles, que já tem três filhos e agora vai cuidar de seis crianças. Ela e mais um tio são única família deles".

Durante o protesto, que começou no fim da tarde, o cruzamento foi fechado. Pedaços de madeira e galhos foram usados para interromper o trânsito. Depois, esses materiais foram incendiados. Guarda Municipal e PM acompanharam a situação. O Corpo de Bombeiros foi acionado para apagar o fogo. Após de conversa com a PM, os manifestantes saíram do local, que fica próximo à favela.

Feminicídio - Conforme uma testemunha, a mulher estava em casa, quando o ex-marido invadiu o barraco. Os dois passaram a discutir e Juliana acabou agredida com pelo menos quatro facadas. Ela foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros e encaminhada ao Hospital Regional, onde morreu.

Este ano, esse é o segundo caso de feminicídio na Capital. Em janeiro, Vilma Alves de Lima, 57 anos, funcionária do setor administrativo do Hospital Rosa Pedrossian foi assassinada a golpes de faca pelo ex-companheiro em frente à entrada principal da unidade.

Após o crime, o pedreiro Wilson Lima, 69 anos, tentou suicídio jogando o carro que conduzia contra um caminhão. Ele foi socorrido, internado na Santa Casa sob escolta e após receber alta foi direto para um presídio.

Manifestação motivada por morte de vizinha continuará nesta segunda
Os vizinhos de Juliana da Silva Fernandes, 25 anos, morta após ser esfaqueada quatro vezes pelo ex-marido Michael Leite de Carvalho, na madrugada de ...
Mulher morre na Santa Casa após ser esfaqueada pelo ex na frente do filho
Juliana da Silva Fernandes, de 25 anos, morreu na noite da última sexta-feira (22), após ser esfaqueada na frente de um dos filhos, na madrugada do m...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions