A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

13/07/2015 15:02

Chuva bate recorde do mês em 12 dias e Inmet alerta para temporais

Michel Faustino
O sol irá brilhar durante este segunda, mas a partir de amanhã o tempo muda novamente. (Foto: Marcos Ermínio)O sol irá brilhar durante este segunda, mas a partir de amanhã o tempo muda novamente. (Foto: Marcos Ermínio)

A quantidade de chuva dos últimos 12 dias já foi atípica para o mês de julho – que costuma ser o mais “seco” do ano em Mato Grosso do Sul. Além de precipitações registradas acima da média em todas as regiões do Estado, como na Capital, por exemplo, onde o volume de chuvas já é quase o dobro da média histórica para todo o mês, a previsão do tempo indica que vem mais água por aí.

Segundo o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), uma nova frente fria chega a Mato Grosso do Sul nesta terça-feira (14), provocando instabilidade, principalmente no sul e sudoeste onde há maior probabilidade de chuvas fortes. As regiões norte, oeste, centro e sudeste também estão sob aviso.

Conforme o instituto, as temperaturas começam abafadas e chega a fazer calor entre o centro e o norte, mas no decorrer da tarde as temperaturas caem com a formação das chuvas.

Na quarta-feira (15) a frente fria ficará estacionária sobre o Estado, e poderá promover volumes significativos de chuva entre o centro e o sul do estado. Na região nordeste deve chover de forma isolada.

Nos próximas dias, quinta (16) e sexta-feira (16), a frente recua e começa a se desconfigurar. Temperaturas seguem em declínio até quinta-feira e voltam a se elevar na sexta-feira, apesar do amanhecer mais frio. Para o norte já
não há mais chuvas previstas.

Chuva bate recorde do mês em 12 dias e Inmet alerta para temporais

Chuvas de julho - De acordo com o Cemtec-MS (Centro de Monitoramento de Tempo, do Clima e dos Recursos Hídricos), do dia 1 ao dia 12 deste mês, o acumulado de chuva em Campo Grande foi de 79,4 mm, representa quase dobro do volume histórico que é de 41 mm. (Conforme o gráfico acima)

Os dias 4 e 11 foram o com maiores índices: 24,90 mm e 20,40 mm, respectivamente. Nos dias, 02, 05, 09, 10 e 12 não houve registro de chuva.

Transtornos - Na madrugada do último sábado, o temporal com rajadas de vento com 63,6 quilômetros por hora causou quedas de árvores em ruas, avenidas e sobre veículos nos bairros localizados nas saídas para Sidrolândia e Aquidauana. Também houve destelhamento de casas e condomínios. O tráfego de veículos está impedido em vários bairros situados na saída para Sidrolândia.

Estragos provocados pela chuva forte e vendaval do último sábado (Foto: Marcos Ermínio)Estragos provocados pela chuva forte e vendaval do último sábado (Foto: Marcos Ermínio)
Casa foram destelhadas e toldos foram arrancados. (Foto: Marcos Ermínio)Casa foram destelhadas e toldos foram arrancados. (Foto: Marcos Ermínio)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions