A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 22 de Setembro de 2018

23/05/2017 15:48

Com carteira e viatura da PF, casal atravessava MS com 350 kg de droga

Dupla se apresentou como policial, mas foi flagrada com maconha no porta-malas de veículo

Luana Rodrigues e Adriano Fernandes
Casal preso em flagrante não teve identificação divulgada. (Foto: Adriano Fernandes)Casal preso em flagrante não teve identificação divulgada. (Foto: Adriano Fernandes)

Casal foi preso em flagrante, na manhã desta terça-feira (23), transportando cerca de 350 quilos de maconha, na BR-267, em Casa Verde, distrito de Nova Andradina - distante cerca de 300 quilômetros ao sul de Campo Grande. 

Além do carregamento de drogas, a dupla estava com documentos falsos, sendo um deles uma carteira funcional da Polícia Federal, e viajava em uma falsa viatura. Os dois foram transportados de helicóptero para a Capital, onde devem permanecer presos (confira a chegada no vídeo ao fim deste texto).

De acordo com inspetora Manoela Reis, o casal foi flagrado por policiais em uma barreira da PRF (Polícia Rodoviária Federal), por volta das 10h50. Desconfiados de atitude suspeita do motorista, que se apresentava como policial federal, os policiais revistaram o veículo em que ele estava com uma mulher, um Corolla, com placas brancas, simulando ser uma viatura.

Droga estava no porta-malas do veículo. (Foto: Divulgação/ PRF)Droga estava no porta-malas do veículo. (Foto: Divulgação/ PRF)
Carteira da PF que encontrada com casal. (Foto: Divulgação/ PRF)Carteira da PF que encontrada com casal. (Foto: Divulgação/ PRF)

A droga foi achada no porta-malas do carro, distribuída em tabletes. O motorista de 34 anos, que não teve a identificação divulgada, confessou que havia comprado o entorpecente no Paraguai, na fronteira com Ponta Porã, e levaria para o Rio de Janeiro, para consumo próprio.

A mulher de 26 anos, que também não teve o nome revelado pela polícia, estava com duas identidades falsas, sendo uma delas de Balneário Camboriú, e outra do Rio de Janeiro.

A carteira funcional que estava com o casal tinha um nome unissex, mas a suspeita da PRF é de que o documento tenha sido furtado de uma agente da PF do Rio de Janeiro.A polícia também irá investigar a procedência do veículo.

O casal irá responder por tráfico internacional de drogas e falsidade ideológica. Caso fique comprovado que a identificação policial foi furtada, eles também serão autuados pelo crime.

Os dois foram encaminhados para a superintendência da PF, onde devem prestar depoimento e permanecer presos.



Puta merda,350 kl pra consumo?
Vai gostar de um baseado la na Rio de Janeiro viu,rsrsrsrsrssrsrsrs.
 
Paulo em 23/05/2017 19:54:34
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions