ACOMPANHE-NOS    
JULHO, QUINTA  09    CAMPO GRANDE 18º

Cidades

Com mensalidade de até R$ 1,8 mil, colégio da Capital tem 2º melhor Ideb do país

Das 20 instituições com maior Ideb do Brasil no ensino médio, somente duas são públicas

Por Anahi Zurutuza | 06/09/2018 12:20
Alunos em sala de aula do Colégio Classe A (Foto: Marina Pacheco)
Alunos em sala de aula do Colégio Classe A (Foto: Marina Pacheco)

Para ter um filho dentre os cerca de 300 alunos do Colégio Classe A, em Campo Grande, famílias tem de desembolsar por mês entre R$ 1,4 mil e R$ 1,8 mil. A escola, contudo, se levado em conta o desempenho no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), é uma das melhores do país para cursar o ensino médio.

Das 20 instituições com maior Ideb do Brasil no ensino médio, somente duas são públicas, conforme levantamento feito pelo jornal O Globo. O MEC (Ministério da Educação) divulgou na segunda-feira (3) os dados gerais do índice e agora disponibilizou as notas por escola.

No primeiro lugar, aparece o Colégio Objetivo Integrado, de São Paulo (SP), com nota 8,4 no Ideb. Logo em seguida, está o Classe A, que teve índice de desempenho 8,3. No 3º, 4º e 5º lugares estão escolas do Ceará, Piauí e Minas Gerais.

Valéria Masson, diretor-geral da instituição de Campo Grande, conta que o ano de 2017 foi de bons resultados para o Classe A e para ela, várias estratégias pedagógicas adotadas proporcionou aos alunos um bom desempenho nos vestibulares, Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e consequentemente, no Ideb.

“Os alunos do 3º ano estiveram na escola em oito domingos. Só para o Enem, fizemos quatro simulados. Em 2017, nós conseguimos nove primeiros lugares em universidades públicas”, cita a diretora sobre estudantes da escola terem conseguido, por exemplo, os primeiros lugares em Medicina, Direito e Engenharia Elétrica da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) e o 1º lugar do curso de Publicidade e Propaganda na USP (Universidade de São Paulo).

Valéria ressalta que a escola investe na preparação para os vestibulares e o Enem desde o ensino fundamental. “Não se faz um aluno no 3º ano, a base é que conta”.

A escola oferece ensino integral, com rotina puxada. Os estudantes do fundamental chegam às 7h15 e têm atividades até às 15h30, mas podem permanecer estudando até o fim da tarde. Já os alunos do ensino médio têm aulas, plantões tira-dúvidas e outros tipos de reforço até às 17h15, mas podem ficar até às 21h nas dependências do colégio.

O Ideb é o principal indicador da qualidade da educação no país. O índice é calculado com base em dados sobre aprovação nas escolas e desempenho dos estudantes no Saeb (Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica), divulgado na semana passada.