A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

15/08/2011 11:50

Delegados da PF refutam críticas sobre operação e uso de algemas

Edmir Conceição

Críticas sobre operação que prendeu acusados de desvio do Ministério do Turismo levam Associação dos delegados a esclarecer atuação da PF

As críticas de políticos e outros setores à operação da Polícia Federal que prendeu envolvidos em desvios de recursos de programas do Ministério do Turismo levaram a Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal a divulgar nota esclarecendo sobre a atuação da Polícia Federal. “A entidade lamenta que no Brasil, a corrupção tenha atingido níveis inimagináveis; altos executivos do governo, quando não são presos por ordem judicial, são demitidos por envolvimento em falcatruas”, diz a nota, lamentando que “quando esses indivíduos são presos, por ordem judicial, os padrinhos vêm a publico e se dizem ‘estarrecidos com a violência da operação da Polícia Federal’ (...)”.

Íntegra - É a seguir a íntegra da nota divulgada pela Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal:

A Polícia Federal vem a público esclarecer que, após ser preso, qualquer criminoso tem como primeira providência tentar desqualificar o trabalho policial. Quando ele não pode fazê-lo pessoalmente, seus amigos ou padrinhos assumem a tarefa em seu lugar.

A entidade lamenta que no Brasil, a corrupção tenha atingido níveis inimagináveis; altos executivos do governo, quando não são presos por ordem judicial, são demitidos por envolvimento em falcatruas.

Milhões de reais – dinheiro pertencente ao povo- são desviados diariamente por aproveitadores travestidos de autoridades. E quando esses indivíduos são presos, por ordem judicial, os padrinhos vêm a publico e se dizem ‘estarrecidos com a violência da operação da Polícia Federal’. Isto é apenas o início de uma estratégia usada por essas pessoas com o objetivo de desqualificar a correta atuação da polícia. Quando se prende um político ou alguém por ele protegido, é como mexer num vespeiro.

A providência logo adotada visa desviar o foco das investigações e investir contra o trabalho policial. Em tempos recentes, esse método deu tão certo que todo um trabalho investigatório foi anulado. Agora, a tática volta ao cenário.

Há de chegar o dia em que a história será contada em seus precisos tempos.

De repente, o uso de algemas em criminosos passa a ser um delito muito maior que o desvio de milhões de reais dos cofres públicos.

A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal colocará todo o seu empenho para esclarecer o povo brasileiro o que realmente se pretende com tais acusações ao trabalho policial e o que está por trás de toda essa tentativa de desqualificação da atuação da Polícia Federal.

A decisão sobre se um preso deve ser conduzido algemado ou não é tomada pelo policial que o prende e não por quem desfruta do conforto e das mordomias dos gabinetes climatizados de Brasília.

É uma pena que aqueles que se dizem “estarrecidos” com a “violência pelo uso de algemas” não tenham o mesmo sentimento diante dos escândalos que acontecem diariamente no país, que fazem evaporar bilhões de reais dos cofres da nação, deixando milhares de pessoas na miséria, inclusive condenando-as a morte.

No Ministério dos Transportes, toda a cúpula foi afastada. Logo em seguida, estourou o escândalo na Conab e no próprio Ministério da Agricultura. Em decorrência das investigações no Ministério do Turismo, a Justiça Federal determinou a prisão de 38 pessoas de uma só tacada.

Mas a preocupação oficial é com o uso de algemas. Em todos os países do mundo, a doutrina policial ensina que todo preso deve ser conduzido algemado, porque a algema é um instrumento de proteção ao preso e ao policial que o prende.

Quanto às provas da culpabilidade dos envolvidos, cabe esclarecer que serão apresentadas no momento oportuno ao Juiz encarregado do feito, e somente a ele e a mais ninguém. Não cabe à Polícia exibir provas pela imprensa.

A ADPF aproveita para reproduzir o que disse o ex-ministro Márcio Thomaz Bastos: “a Polícia Federal é republicana e não pertence ao governo nem a partidos políticos”.

Brasília, 12 de agosto de 2011

Bolivar Steinmetz

Vice-presidente, no exercício da presidência*



hoje em dia a unica puniçao que um corrupto recebe e a famosa humilhaçao de ser algemado e colocado a cara dele nos jornais, porque o resto os advogados mudam tudo, ex.se o cara for pego pelo grampo falando tudo que quer do jeito que acha.
a policia prende ele, leva os materias eletronicos para pesquisas, e depois o cara sai da cadeia por liminar dizendo que as provas nao foram aceitas.
o pior disso tudo e como nao podem algemar colarinho branco,
quem toma na cabeça sao os pobres, que alem de serem algemados ainda tomam um cola brinco, pra tirar o stres da turma, como sempre o pobre e que leva a pior.
 
luiz fernandes em 15/08/2011 12:22:09
Parabéns à Polícia Federal pela brilhante atuação que sempre desempenha, apesar de na alta cúpula dos governos sempre ter pessoas tentando desqualificar esse excelente trabalho. Quanto ao uso de algemas, deve -se sempre levar em consideração que a mesma tem varias justificativas, como a segurança dos policiais e a proteção dos detidos, entre outras. Mas devemos nos perguntar por que os políticos, não vem a público questionar o uso de algemas em um cidadãos comuns, que muitas vezes precisam cometer algum delito simplesmente para matar a fome. Ou será que para nossos ilustres representantes um crime cometido por alguem da alta cúpula ou da alta sociedade é menos grave do que o cometido por um cidadão comum?
Por isso estou de acordo com polícia federal, algema é pra criminosos sejam eles quem forem. Pois crime é crime, e algemas neles.

Luis Carlos Espíndola

 
Luis Carlos V.Espíndola em 15/08/2011 12:20:09
O mesmo se aplica na esfera Estadual e Municipal, o que importa é denegrir e desacreditar o trabalho policial, travestindo ladrões de colarinho branco, como cidadãos de bem e membros de respeito na sociedade, o uso de algemas em tais "cidadãos" de bem, realmente se torna um crime maior que o desvio de verbas públicas, conchavos, desmandos e crimes comuns, já que a tática de desviar a atenção do povo sobre o motivo da prisão tem sistematicamente dado resultado. Parabéns à ADPF, que decidiu efetuar um enfrentamento à essa aberração. ACORDA BRASIL!!!!
 
Helio C. Junior em 15/08/2011 12:19:03
Parabens a essa associaçao, se todos nós nos encorajassemos como essa entidade o fez e fossemos pra cima desses ladroes travestidos de "politicos honestos e exemplares" talvez esse pais teria algum futuro, pois do jeito que esta nao podemos sequer imaginar o que sera do pais que vamos deixar para os nossos filhos! Uma completa inversao de valores, onde a policia nao tem voz, o judiciario nao funciona, e o sistema politico rouba! Só por Deus mesmo!
 
andre luiz em 15/08/2011 01:58:50
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions