A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

01/09/2010 07:07

Devassa da PF prendeu Artuzi, 1ª dama e 8 vereadores

Redação

A Operação Uragano (furacão em italiano), deflagrada hoje pela Polícia Federal, cumpre desde às 4 horas de hoje 29 mandados de prisão temporária e 38 conduções coercitivas em Dourados. No total, 67 pessoas são encaminhadas à sede da PF na manhã de hoje.

A Polícia Federal responsabiliza o prefeito Ari Artuzi (PDT), também preso, pelo esquema que envolve crimes de fraudes à licitação, corrupção ativa e formação de quadrilha, preso hoje

Já a primeira-dama Maria Artuzi foi presa em Brasília, onde participava de evento sobre políticas públicas para a mulher.

De acordo com a Polícia Federal, as fraudes consistem no direcionamento de licitações por meio de corrupção de servidores públicos e agentes políticos. Os acordos fechados com as empresas escolhidas ilicitamente rendiam 10% do valor do contrato.

Segundo a PF, os valores arrecadados serviam para o pagamento de diversos vereadores de Dourados, tanto da base aliada, quanto da oposição, para caixa de campanha, além da compra de bens pessoais ao prefeito.

As investigações começaram em maio deste ano e apontaram a participação de secretários municipais, empreiteiros, funcionários de construtoras, prestadores de serviços, vereadores e servidores públicos.

Cerca de 200 policiais federais participaram da operação. Os mandados foram expedidos pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul e pela 1ª Vara Criminal de Dourados. Também foram apreendidos documentos na casa do vice-prefeito.

Estão detidos oito dos 12 vereadores de Dourados. Entre eles, o presidente da Câmara e candidato a deputado estadual, Sidlei Alves (DEM), Humberto Teixeira Júnior (PDT), Aurélio Bonatto (PDT), Zezinho da Farmácia (PSDB), Paulo Henrique Bambu (DEM), Marcelo Barros (DEM) e José Carlos Cimatti (PSB). Outros estão na PF para serem ouvidos sobre o caso.

Ainda foram confirmadas as prisões dos secretários municipais Ignes Boschetti (Finanças), Dirson Sá (Obras), Marcelo Hall (Serviços Urbanos), Alziro Moreno (advogado-geral do município), Tatiane Moreno (Administração), Edmilson Morales (Educação) e do adjunto de Saúde. Também foi preso o servidor responsável pelas licitações.

Segundo a PF, gravações em vídeo comprovam o esquema de corrupção no município.

A assessoria da prefeitura de Dourados ainda não se manifestou sobre a operação.

(Colaborou Antônio Coca, do Dourados News).

Mega-Sena acumula de novo e prêmio estimado sobe para R$ 43,5 milhões
Mais uma vez a Mega-Sena ficou sem vencedor na faixa principal e, com isso, a premiação acumulou e pode chegar a R$ 43,5 milhões no próximo concurso,...
Mega-Sena pode pagar R$ 39 milhões no sorteio deste sábado
A Mega-Sena deste sábado (16), que está acumulada, pode pagar R$ 39 milhões para quem acertar os seis números. O concurso 1.997 ocorre às 20 horas, h...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions