A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

25/05/2010 07:58

Dois são condenados por assassinato de PM em Corumbá

Redação

Os dois homens acusados pela morte do subtenente da Polícia Militar, Edézio Gonçalves de Arruda, foram condenados a mais de 23 anos de prisão, em Corumbá. Nadson Pereira Galvão, de 24 anos e Giliard Pereira, de 25, foram ouvidos e sentenciados em uma sessão, sem enfrentar júri popular.

O julgamento foi concluído ontem, depois de quatro horas. Nadson foi condenado a 24 anos de prisão, mas ampliada em seis meses por ter "personalidade não recomendável" e por se tratar de pessoa que "age com total senso de irresponsabilidade e descaso para com o Estado-Juiz, tanto que evadido do sistema prisional, condenado anteriormente por homicídio doloso ".

Edézio morreu em 11 de janeiro de 2010, aos 57 anos. Nadson foi quem atingiu a vítima com uma pedrada na cabeça. Ele e Giliard mataram o PM ao tentar assalto para comprar drogas. O rapaz também foi condenado por tráfico de drogas, a mais 5 anos e 2 meses de detenção.

Giliard foi condenado a 23 anos de prisão, mas como confessou espontaneamente a autoria do crime, teve a pena reduzida para 22 anos e três meses, em regime fechado.

Durante a reconstituição do crime, em 18 de janeiro, os acusados confessaram que pegaram o subtenente de surpresa, quando abria a porta da residência para entrar. Um deles atingiu a vítima com uma pedra na cabeça, em seguida os dois carregaram o PM até o carro, na parte de trás do veículo.

Houve briga dentro do carro, que ficou com várias marcas de sangue. Na estrada que dá acesso ao Assentamento Taquaral, conhecida como Estrada Branca, Giliard disse que tirou a vítima do veículo, amarrou as mãos e pernas do subtenente e o Nadson finalizou dando outra pedrada na cabeça do PM, causando afundamento do crânio. Logo após o Giliard arrastou o corpo 3km do local do crime. Giliard ainda se encarregou de levar o carro até a Bolívia para um indivíduo conhecido por Fraco, mas o carro acabou derrapando e atolou, momento em que a dupla abandonou o local deixando o carro. (Informações da assessoria do TJ/MS)

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions